segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Benfica na corrida

João Santos

À terceira foi de vez. O Benfica venceu o Vitória de Guimarães e mantém-se na corrida pela liderança da LPB.

Num jogo onde faltou banco ao Vitória para conseguir equilibrar os dados com o Benfica, as águias voaram mais alto juntos às tabelas, onde conseguiram o dobro dos ressaltos do Guimarães (42-21). De resto, a equipa benfiquista dominou totalmente uma equipa onde Augusto Sobrinho parece fazer muita falta. Miguel Minhava (16 pontos, 7 ressaltos e 9 assistências) conseguiu uma grande exibição, muito bem acompanhado por Élvis Évora (16 pontos e 6 ressaltos) e Sérgio Ramos (12 pontos e 9 ressaltos). Do lado do Guimarães, Paulo Cunha (20 pontos, 80% em lançamentos de dois, 67% em lançamentos triplos) foi a figura.

No Porto, os Dragões voltaram a mostrar predominância, num jogo onde Moncho Lopez se permitiu utilizar todos os onze jogadores disponíveis, acabando todos eles por somarem pontos na vitória portista. João Santos (18 pontos e 5 ressaltos) acabou por ser o melhor jogador dos azuis, com Carlos Andrade a sobressair nas assistências (7). Do lado dos açorianos, James St. Robert (25 pontos e 14 ressaltos) confirmou a boa exibição da semana passada.

A Académica é cada mais terceiro, desta vez conseguindo uma excelente vitória na deslocação à Figueira da Foz. Depois de um primeiro período fabuloso (11-31), os Estudantes geriram muito bem o resultado até ao final. Tommie Eddie (28 pontos e 8 ressaltos), Matt Shaw (21 pontos e 10 ressaltos) e Diogo Simões (17 pontos e 7 assistências) foram os principais obreiros da vantagem academista. Do lado do Ginásio, Jason Hartford (25 pontos e 5 assistências) foi o melhor cotado.

Grande sensação no Barreiro, com a equipa da casa a conseguir apenas a segunda vitória da temporada, e logo contra o Ovarense. O último período foi o momento chave deste jogo, com o Barreirense, liderado por Tyronne Curnell (29 pontos e 7 ressaltos) e Garrison Johnson (23 pontos e 5 ressaltos), a conseguir um triunfo que o pode trazer de volta à luta pela manutenção. Na equipa da Ovarense, que se apresentou desfalcada, Nuno Cortez (23 pontos e 13 ressaltos) continua a fazer uma época memorável, embora sozinho não consiga carregar a equipa para o topo da classificação.

Nos restantes dois jogos da jornada, lutou-se pelo oitavo lugar dos playoff, com CAB Madeira e CB Penafiel a reforçarem as suas candidaturas. Os madeirenses foram até São Paio de Gramaços vencer a equipa local, com grandes exibições do veterano Shawn Jackson (23 pontos e 9 ressaltos) e Nathan Menefee (28 pontos e 4 assistências). Entre os homens da casa, destaque para a excelente partida do cabo-verdiano Joel Almeida (33 pontos e 7 ressaltos).

Em Penafiel, Londrick Nolen (21 pontos e 12 ressaltos) fez uma exibição que lhe vale o prémio de MVP da semana. Perante um Illiabum irreconhecível, onde apenas Taj Crutchfield (18 pontos e 8 ressaltos) esteve ao seu nível, a equipa penafidelense contou ainda com as boas contribuições de Jeremy Goode (20 pontos e 3 assistências) e Mário Gonçalves (12 pontos e 3 ressaltos) para obter vitória muito importante.
Resultados

Barreirense –Ovarense Dolce Vita 86-71
Sampaense – CAB Madeira 84-94
CB Penafiel – Illiabum 75-57
Porto Ferpinta – Lusitânia Expert 97-87
Casino Ginásio – Académica 69-81
Benfica – Vitória de Guimarães 79-63

Classificação

12v-1d: Porto Ferpinta
10v-3d: Benfica
9v-4d: Académica
7v-6d: Vitória de Guimarães e Ovarense
6v-7d: CAB Madeira, Sampaense e Casino Ginásio
5v-8d: CB Penafiel
4v-9d: Lusitânia Expert e Illiabum
2v-11d: Barreirense

Eurobasket’11 sorteado

Decorreu em Vilnius o sorteio dos grupos do Eurobasket 2011, que se disputará no próximo mês de Setembro, na Lituânia.

Adivinham-se jogos emocionantes, num Grupo A que já pode ser classificado como o da morte (com Espanha, Turquia, Lituânia e Grã-Bretanha), ou num Grupo C onde a questão política não poderá ser esquecida (Grécia e quatro países da Antiga Jugoslávia). Em aberto ficam as duas posições que só ficarão decididas na Fase Adicional de Qualificação, esperando nós que Portugal possa ocupar uma dessas vagas.


Grupo A: Espanha, Turquia, Lituânia, Grã-Bretanha, Polónia e 2º Classificado da Qualificação.

Grupo B: Sérvia, França, Alemanha, Israel, Itália e Letónia.

Grupo C: Grécia, Croácia, Montenegro, Macedónia, Bósnia e Herzegovina e 1ª Classificado da Qualificação.

Grupo D: Eslovénia, Rússia, Bélgica, Geórgia, Bulgária e Ucrânia.  

domingo, 30 de janeiro de 2011

Machadadas na mediocridade

O Sporting não mostrou, no Estoril, capacidade para obter um resultado positivo(1-2), mas Cosme Machado acabou por ser a figura do jogo.

Viu bem, senhor árbitro?

Paulo Sérgio queixou-se da exibição do juiz de Braga e a razão assiste-lhe. Cosme Machado quis ser a figura do jogo, pela negativa, assinalando uma penalidade inexistente na área do Sporting, com apenas oito minutos de jogo, e sentenciando a partida numa outra que deixa bastantes dúvidas, corria o minuto setenta e sete. O Estoril Praia viu-se assim vencedor de um jogo onde nada fez para merecer a vitória, tendo optado por entregar toda a iniciativa de jogo aos leões, arriscando muito pouco. Ganhou o jogo porque, para além da terrível exibição da equipa de arbitragem, o Sporting cometeu erros atrás de erros, tornou-se displicente com o decorrer do jogo e acabou apático, com menos um em campo e perfeitamente entregue à mediocridade que reinou no Campo da Amoreira.

Assim sim, Abel

O início do jogo, no entanto, fazia prever todo o contrário. Com uma equipa cheia de jogadores que têm exigido uma oportunidade de mostrar o seu valor, o Sporting entrou no jogo a vencer. Com apenas três minutos de jogo, Abel soltou-se do lado direito e, fora da área, disparou forte ao ângulo contrário da baliza de Vágner, que nada podia fazer para suster a bola. Um grande golo que prometia muito. Na resposta, o Estoril criou um lance de perigo para a baliza de Tiago com um remate de longe e, logo a seguir, Cosme Machado entendeu assinalar grande penalidade numa disputa de bola entre Alex Afonso e Nuno André Coelho.  O brasileiro não desperdiçou a oportunidade e empatou de novo a contenda.

A partir daqui, a equipa da Linha remeteu-se ao seu meio-campo e esperou. O Sporting, por seu lado, com tanta bola e tanto espaço para desenhar a sua ofensiva, parecia satisfeito com o resultado e apenas desentorpecia as pernas. Um ou outro rasgo de Diogo Salomão, uma ou outra arrancada de Matías Fernandez, mas pouco ou nenhum perigo criado pelos homens de Alvalade. Só aos trinta e sete minutos Saleiro teve oportunidade de colocar à prova o guarda-redes Vágner, que respondeu com uma excelente defesa.

E depois do descanso, mais descanso

Regressados do balneário, os jogadores não trouxeram qualquer novidade para o terreno de jogo. As equipas pareciam divertir-se com a troca de bola entre si, chegando-se muito pouco às balizas adversárias. O público, que não era muito, ia adormecendo com o ritmo de jogo, que só foi alterado, uma vez mais, por uma oportunidade de Saleiro, que aproveitou deslize da defensiva estorilista para cabecear à baliza de Vágner. O brasileiro, uma vez mais, fez defesa do outro mundo, evitando a vantagem verde e branca e dando algum motivo de interesse ao cinzentismo do jogo.

Paulo Sérgio, por seu lado, parecia pouco satisfeito com o correr do jogo e operou substituição ofensiva, retirando de campo Matías Fernandez e Abel para fazer entrar Simon Vukcevic e Hélder Postiga. O treinador ribatejano pretendia, assim, povoar mais a sua frente de ataque, na esperança de conseguir despertar a fome de golos nos seus jogadores.  Mas o árbitro Cosme Machado não esteve pelos ajustes. Num lance onde Grimi demonstrou a sua incapacidade para se coordenar com os movimentos defensivos do Sporting, Luís Leal isolou-se e, perante a saída de Tiago, ofereceu-se ao choque com o veterano guarda-redes. O árbitro não soube mais do que apitar para nova grande penalidade, num gesto onde o árbitro auxiliar divide culpas, por não ter tido atenção para o mergulho de Luís Leal.

Sem reacção

Com o Estoril Praia em vantagem e pouco mais de dez minutos para jogar, o Sporting já não teve forças para tentar a reviravolta.  As notícias que chegavam da outra partida (vitória da Naval no terreno do Penafiel) garantiam a passagem dos leões às meias-finais da Taça da Liga, a equipa dividia-se entre o cansaço e a falta de ritmo de grande parte dos jogadores em campo, nada fazia com que os sportinguistas arriscassem no tempo que restava.  O jogo terminou assim ingloriamente, animando as hostes estorilistas que bem precisam de confiança para enfrentar a segunda volta da Liga Orangina, sem outra consequência para a equipa de Alvalade sem ser o castigo que será aplicado a Tiago pela sua expulsão no lance da segunda grande penalidade.

As figuras

Abel – sempre que joga, o experiente lateral-direito mostra raça e vontade de merecer a aposta. Marcou um grande golo que, certamente, ficará entre os melhores desta competição.

Vágner – Grande exibição do habitual guarda-redes suplente do Estoril. Por duas vezes evitou o golo de Saleiro, garantindo a manutenção de um resultado que viria a permitir a vitória da sua equipa. Merece mais  oportunidades. 


sábado, 29 de janeiro de 2011

Torneio dos Campeões

O site da Física de Torres Vedras está a organizar um campeonato de sites ligado ao Campeonato Nacional da 1ª Divisão em Hóquei em Patins.

A SAD vai participar com a seguinte equipa:

Guarda-redes: Física de Torres (120)

Jogadores de campo:
Reinaldo Ventura (230)
Alan Fernandes (80)
Jorge Silva (40)
Tó Neves (40)
Tiago Resende (20)
Vicente Alves (20)

Mais informações sobre como participar neste site.

Sporting afia faca na Taça da Liga


Depois da fantástica vitória na deslocação ao Funchal, o Sporting visita o Estoril Praia com o objectivo de confirmar a presença nas meias-finais da Taça da Liga.

É tempo de gerir o plantel?

A visita ao Campo da Amoreira é o sexto jogo deste mês de Janeiro para o plantel sportinguista, que marcou uma posição frente ao Marítimo, vencendo por três golos numa deslocação tradicionalmente complicada. O ambiente em Alvalade não está famoso, já que depois da demissão de José Eduardo Bettencourt e da marcação de novas eleições, todos os dias se fala de candidatos a candidatos, cada um deles anunciando medidas um tanto intempestivas. Tem sido esse um dos problemas do clube verde e branco, a constante troca, em praça pública, de projectos e declarações de intenções que, chegados o momento da verdade, acabam sempre por ficar na gaveta. Até Março, é isso que o plantel terá que aguentar. E o melhor será que Couceiro, Costinha e Paulo Sérgio façam todos os esforços para isolar o grupo da contagem de armas que já começou a ser feita.

Não por acaso, o dia de hoje trouxe à baila ofertas para uma série de jogadores importantes no plantel, dos quais dificilmente o clube poderá abdicar se quiser manter-se na competição pela Taça da Liga e Liga Europa. O trabalho da estrutura do futebol profissional sportinguista vê-se assim perante uma situação que, não sendo nova, acaba por desviar o foco da concentração dos jogadores. Estamos perante uma situação de gestão dupla: por um lado, a gestão anímica perante a situação do clube, por outro, a gestão física de jogadores que têm sido obrigados a esforços suplementares.

Quem é certo que ficará de fora na deslocação ao Estoril é Maniche. O jogador voltou a apresentar queixas na perna esquerda e está a ser reavaliado, sendo pouco provável que recupere. Outro dos ausentes é Yannick Djaló, que vai trabalhando entre o ginásio e o relvado, mas que ainda não está dado como apto para a competição. Quem poderá voltar a dar o seu contributo à equipa é Hélder Postiga, bem como os sul-americanos Grimi e Matías Fernandez. É muito provável que os dois primeiros possam até entrar directamente no onze, sendo que no caso do internacional chileno, tendo tido uma paragem prolongada, se aconselha uma dose reduzida de minutos.

De resto, esperam-se alterações na baliza, onde Tiago se afigura como principal candidato à titularidade, na lateral-direita, onde Abel pode entrar no lugar de João Pereira, bem como no centro da defesa, onde Torsiglieri poderá ter oportunidade de confirmar a boa prestação realizada na Madeira. No meio-campo, Zapater, Pedro Mendes e André Santos poderão ser obrigados a trabalho extra, dada a escassez de opções, com Diogo Salomão a espreitar a possibilidade ocupar o lado esquerdo do ataque. Vukcevic poderá ser quem mantém a titularidade entre os avançados utilizados na passada segunda-feira.

Para acabar fora desta competição, o Sporting teria que ser goleado pelo Estoril Praia e ver o Penafiel golear a Naval, duas situações totalmente inesperadas. A equipa da Linha, que joga a sua última partida nesta competição, aproveitará a oportunidade para mostrar os seus jogadores na transmissão televisiva, sendo assim de esperar que Vinicius Eutrópio apresente o seu melhor onze.

Qual será o próximo negócio?

Com a gestão entregue à Trafic, a equipa do Estoril tem sido porta de entrada para uma série de jogadores brasileiros à procura de sucesso na Europa. O melhor exemplo desse trabalho é Jardel, jogador que poderá estrear-se este fim-de-semana com a camisola do Benfica.  Entre os jogadores brasileiros mais jovens, os laterais Anderson Luís e Jefferson parecem ser os melhores colocados para seguir as passadas de Jardel. De resto, o plantel tem alguns jogadores mais experientes, como são o caso de Luciano Bebé, Alex Afonso ou o português Lameirão, na tentativa de conseguir alcançar uma promoção à Liga Zon Sagres, tarefa que se adivinha complicada, dado os estorilistas ocuparem um lugar no fundo da tabela.

Espera-se que a chuva desta semana não tenha transformado o relvado do Campo António Coimbra da Mota num lamaçal, permitindo que o jogo seja agradável de seguir para quem queira ver o Sporting confirmar o seu lugar na próxima fase da Taça da Liga.

Equipas prováveis:

Estoril Praia: Cléber; Anderson Luís, Lameirão, Steven Vitória e Jefferson; Luciano Bebé, João Coimbra, Da Cunha e Erick; Luís Leal e Alex Afonso.

Sporting: Tiago; Abel, Daniel Carriço, Torsiglieri e Grimi; Pedro Mendes, Zapater e André Santos; Vukcevic, Hélder Postiga e Diogo Salomão.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Voluntariado no Eurobasket


A organização lituana do Europeu de Basquetebol abriu inscrições para criar equipas de voluntários na competição que se disputará em Setembro de 2011.

Sendo que o conhecimento de Inglês e Lituano é preferencial, a organização terá em vista a possibilidade de encontrar voluntários dos vários países participantes. Portugal é uma das equipas que poderá, ainda, conseguir o apuramento, na Ronda adicional de Qualificação que será disputada com a Hungria e a Finlândia, durante o mês de Agosto.

As inscrições para voluntários estarão abertas até ao dia 25 de Março. Mais informações e links para as respectivas inscrições poderão ser encontradas no site LithuaniaBasketball.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Oportunidade Perdida

Élvis e Sene

O Benfica teve a vitória na mão e acabou por entregar o jogo ao Gravelines Dunkerque, perdendo oportunidade de fazer história na Eurochallenge.

Encontraram-se na noite passada, no Pavilhão da Luz, representantes de dois campeonatos muito diferentes, mas para quem chegasse sem essa informação, não daria para perceber quem tem por hábito jogar num nível superior. O Benfica entrou muito personalizado no jogo, mesmo que Heshimu Evans não se tenha chegado a equipar e Greg Jenkins continue com problemas físicos. No entanto, muito graças a uma boa entrada de Mike Williams(11 pontos, 8 ressaltos), Sérgio Ramos(9 pontos, 10 ressaltos) e Diogo Carreira(2 em 2 nos L3), o Benfica parecia ter capacidades para fazer frente aos gigantes franceses. O único jogador do Gravelines que fazia mossa era Mouhamer Sene(15 pontos, 13 ressaltos), que saiu do banco para fazer estragos no poste baixo.
Ainda assim, o Benfica chegou empatado ao final do primeiro período e deu espectáculo no segundo, atingindo o intervalo com uma vantagem de 7 pontos.

A segunda parte foi muito diferente. Os franceses continuavam a revelar dificuldades no aproveitamento das situações de ataque, mas o Benfica não aproveitava para se distanciar no marcador, permitindo que o Gravelines tomasse conta do marcador já muito perto do final da partida. O Benfica, ainda assim, nunca desistiu, contando com uma exibição gigantesca de Élvis Évora(16 pontos, 10 ressaltos). O internacional português não teve problemas em assumir os custos das lutas na tabela, menorizando as diferenças entre as duas equipas nesse aspecto do jogo. O Benfica chegou ao último minuto com o jogo ao seu alcance, conseguindo colocar o adversário a dois pontos de distância e defendendo muito bem a última posse de bola francesa. Com 14 segundos para jogar, no entanto, o Benfica não soube como definir a jogada que lhe permitiria, no mínimo, levar o jogo para prolongamento. Sem gastar suficiente tempo, Ben Reed(15 pontos) tentou resolver sozinho e acabou por cometer um turnover, o que foi fatal para as aspirações benfiquistas.

No final, Henrique Vieira mostrou-se satisfeito com a exibição dos seus jogadores, que não podem deixar de se sentir orgulhosos por aquilo que mostraram em campo. O Benfica precisa de um plantel mais profundo para enfrentar um calendário tão cheio, mas não tem abdicado nunca de dar o seu melhor em cada jogo. Do lado dos franceses, destaque ainda para o base Ben Woodside (17 pontos, 5 assistências), um jogador pouco vistoso fisicamente, mas muito difícil de parar.

Uma nota para as opções da Benfica TV durante o jogo de ontem. Depois de garantir a transmissão da primeira parte do jogo sem problemas, a segunda parte foi acompanhada num rectângulo menor da imagem, sem comentários, nem tempo de jogo, enquanto dava preferência à transmissão da Gala Eusébio, programa que era transmitido pelos vários canais da RTP. Numa acção de propaganda da memória benfiquista, ficaram a perder todos aqueles que procuraram o canal encarnado para viver as emoções do Eurochallenge. Ontem, o basquetebol saiu, uma vez mais, a perder. 

Palavras para quê?

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Sporting com cabeça

Um Sporting maduro e a tomar as decisões certas venceu, sem deixar dúvidas, uma equipa do Marítimo que dignificou o resultado. Rui Patrício foi o homem da noite.

Uma primeira parte apática de ambas as equipas, que entraram em campo decididas a esperar por erros do adversário e não arriscaram durante quarenta e cinco minutos de jogo. Muito equilíbrio e poucas oportunidades, pode resumir-se assim o que foi acontecendo no Estádio dos Barreiros, onde as obras de renovação impedem o melhor cenário para um jogo da Liga Zon Sagres. No entanto, a primeira parte tinha reservado um grande momento de futebol  para os seus últimos minutos. Liedson, com um toque subtil, lançou Vukcevic pela direita, o montenegrino trabalhou bem a bola até perto da linha final e colocou o esférico na zona da grande penalidade, onde o espanhol Zapater, sozinho e em estilo, cabeceou para o fundo das redes, sem dar hipóteses ao guardião Marcelo Boeck.

Chegava-se ao intervalo com um golo em apenas um lance de perigo criado pelas duas equipas. Felizmente, a segunda parte trouxe um filme completamente diferente. Para começar, Pedro Martins pediu maior agressividade aos seus jogadores, com Baba e Roberto Sousa a rematar, com perigo, à baliza sportinguista. Aos 55 minutos, mexeu mesmo na equipa, fazendo entrar Héldon e Kléber, apresentando dois avançados que passaram a ser servidos pelo cabo-verdiano na direita e pelo angolano Djalma na esquerda. Durante cerca de dez minutos, o Marítimo dominou o jogo. Kléber por duas vezes, Baba e Héldon tiveram o golo nos pés mas, em todas as ocasiões, Rui Patrício impediu o sucesso madeirense.

Rui Patrício foi mesmo o homem da noite. Aguentando o desnorte defensivo dos seus companheiros, o jovem guarda-redes foi uma autêntica parede perante o fluxo ofensivo verde e rubro. O próprio treinador Paulo Sérgio pareceu surpreendido, tendo demorado a decidir-se pela melhor opção para parar o domínio dos madeirenses. Acabou por escolher lançar Torsiglieri, tirando Vukcevic, o que fazia adivinhar um Sporting defensivo para o resto do encontro.

No entanto, o reforço da defensiva permitiu soltar os laterais (e, na verdade, vivem em Alvalade dois dos defesas mais ofensivos da Liga). João Pereira aproveitou o novo desenho táctico da sua equipa, subiu sozinho pela linha e centrou para a área onde, devido à pressão de Liédson, a defesa não conseguiu afastar a bola, acabando Zapater por ficar com o domínio da mesma. O espanhol provou estar em momento de inspiração, fintou João Guilherme e disparou para o fundo das redes. O Sporting dava por terminada a reacção do Marítimo e acabava com o jogo, perante a incredulidade dos adeptos que adivinhavam o golo nas redes contrárias.

A partir daqui o Sporting fez o que quis. Os madeirenses não mais se aproximaram da baliza de Rui Patrício e os leões conseguiram até aumentar a vantagem. Numa bela jogada de Valdés, este ofereceu o golo a Liédson, que só precisou de empurrar para a baliza deserta. O Marítimo não tinha agora o mesmo ânimo que apresentara nos primeiros minutos da segunda parte, sendo a equipa que mais se terá arrependido da fraca primeira parte que ofereceu aos seus adeptos.

No final do encontro, Pedro Martins apresentou queixas da arbitragem de Artur Soares Dias. No entanto, nos dois lances em que os madeirenses reclamaram grande penalidade, o árbitro decidiu sempre bem. O mesmo não terá acontecido no minuto 77 quando mostrou amarelo a Valdés por simulação. O defesa João Guilherme afastou a bola para canto tendo tocado no criativo chileno. Ao mostrar o cartão e ao assinalar pontapé de baliza, o árbitro acabou por errar duas vezes. Ainda assim, a sua actuação não teve qualquer influência no resultado.

As figuras

Rui Patrício – como já foi dito, Rui Patrício salvou o Sporting no momento em que a equipa perdeu o controlo da situação. Quatro intervenções de grande gabarito, evitando um golo que significaria o empate e, talvez, o descalabro dos leões na pérola do Atlântico. Rui Patrício mostrou, uma vez mais, que é o melhor guarda-redes português da actualidade.

Zapater – onde andou este espanhol durante toda a temporada? Em poucos dias, Zapater marcou quatro golos. E desta vez, o espanhol decidiu o jogo. No primeiro golo, apareceu muito bem a finalizar de cabeça (primeiro golo de cabeça do Sporting neste campeonato). No segundo, fez uma finta digna de craque. Confirmou o bom momento e a titularidade merecida.

Valdés – encostado à posição de extremo, o chileno parece um leão preso na jaula. Ainda assim, Valdés soube sempre encontrar forma de aparecer no jogo. Muito diferente foi a sua acção quando Paulo Sérgio lhe entregou toda a zona ofensiva para se entender com Liédson. Valdés assistiu para um golo, rematou à baliza e ganhou muitos duelos com a defesa madeirense. Por isso foi aplaudido no momento em que foi substituído por Saleiro. 

Basquetebol Europeu na TV

Terça-feira é um dia gordo para os fãs do basquetebol europeu em Portugal. Na segunda jornada da Eurocup e da Eurochallenge, três jogos terão transmissão.

A tarde começa na Eurosport 2 com a transmissão do Galatasaray – Asefa Estudiantes, às 18h30. Os turcos perderam na primeira jornada e vão querer vencer para manterem esperanças na competição. O base norte-americano Taylor Rochester e o poste croata Luksa Andric foram os dois melhores jogadores da equipa no confronto contra o Pepsi Caserta e estarão debaixo de olho na recepção aos espanhóis. A equipa de Madrid venceu o CEZ Nymburg em jogo que contou com transmissão neste mesmo canal, sendo que John Asselin marcou 20 pontos em apenas 19 minutos em campo. São essas exibições desse nível que poderão garantir nova vitória aos espanhóis, num pavilhão muito complicado.

Às 20h15 será hora de assistirmos ao Cedevita – Unics Kazan. Os croatas perderam no Pavilhão do Hemofarm, num jogo em que Bracey Wright foi a figura. A recepção aos russos do Unics Kazan não será fácil, visto que estes apresentam em Maciej Lampe e Hasan Rizvic uma dupla interior quase imbatível. Antevê-se grande espectáculo em Zagreb.

Finalmente, às 21h, em directo do Pavilhão da Luz, será o momento de mudarmos para o Benfica TV. A equipa benfiquista recebe os franceses do Gravelines Dunkerque, equipa que garantiu a vitória na primeira jornada frente aos suecos do Norrkoping. Ben Woodside e Cyril Akpomedah estiveram em grande plano e vão querer repetir a dose frente aos campeões portugueses.

Um final de tarde e noite a não perder, para quem gosta de basquetebol europeu. 

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Porto ganha na Cidade Berço

T.Curnell

O Porto Ferpinta venceu o duelo frente aos vimaranenses e mantém o primeiro lugar na tabela da LPB.

Mesmo sem Greg Stempin nem Augusto Sobrinho, Porto Ferpinta e Vitória de Guimarães apresentaram-se em excelente nível no jogo entre duas equipas que saíram perdedoras da Taça Hugo dos Santos. O jogo ficou marcado pela qualidade de jogo de ambas as equipas e pelas reacções aos momentos de desvantagem. No quarto período, o Guimarães chegou mesmo a ter um parcial de 17-2, o que obrigou o Porto a um esforço final para garantir o resultado. João Santos (24 pontos) foi o jogador mais decisivo entre os dragões, num jogo em que Nolan Richardson (30 pontos) foi o mais concretizador e Kyle Austin (17 pontos e 13 ressaltos) e Kevin Martin (18 pontos e 10 ressaltos) conseguiram duplo-duplos.

Na Madeira, o Benfica manteve a calma e conseguiu uma vitória nos últimos segundos, com uma tapinha de Ben Reed (único lançamento de campo concretizado) a garantir a diferença final. Os benfiquistas disputaram cinco partidas em oito dias, viajaram até à Letónia e Madeira, sendo que já na próxima terça-feira voltarão a ter jogo da Eurochallenge. Com tantos jogos e viagens, o plantel encarnado está totalmente desgastado, sendo que o reforço Mike Williams continua sem dar sinais de ser um contribuidor válido para o conjunto campeão. No jogo deste fim-de-semana, o experiente Sérgio Ramos (23 pontos e 11 ressaltos) tomou as rédeas da equipa e manteve o Benfica na perseguição ao Porto.

Quem está agora isolado no terceiro lugar é a Académica. Os estudantes disputaram dois jogos este fim-de-semana e não permitiram quaisquer veleidades aos seus adversários. No jogo a contar para a LPB, o Penafiel saiu de Coimbra vergado à superioridade academista, com Matt Shaw (17 pontos e 12 ressaltos) a ser a figura do jogo. No encontro a contar para a Taça de Portugal, o Terceira Basket foi derrotado por 101-75, com Will Holland (25 pontos) a cotar-se como o melhor marcador da sua equipa.

Grande jogo em Ovar, onde Ovarense Dolce Vita e Casino Ginásio trocaram de posições na tabela classificativa. Os vareiros estão a subir de condição, alicerçados nas excelentes temporadas de Nuno Cortez (23 pontos e 10 ressaltos) e Fernando Neves (16 pontos e 4 ressaltos). Já os figueirenses tentam reencontrar o perfume do início da Liga, contando agora com João Reveles (15 pontos, 10 ressaltos e 6 assistências) para liderar uma equipa em movimento descendente.

O Illiabum perdeu mais uma oportunidade para fugir dos últimos lugares, frente a um Sampaense onde Almaad Jackson (26 pontos e 10 ressaltos) reapareceu como figura mais influente.  Já no Barreiro, as notícias não poderiam ser piores. Viagem aos Açores para somar a décima primeira derrota da temporada, num grupo onde Tyronne Curnell (38 pontos e 8 ressaltos) fez a exibição do ano, mas que não tem mostrado trabalho de equipa que lhe permita lutar pela manutenção. Bons sinais no Lusitânia Expert onde Daniel Monteiro (20 pontos e 6 assistências) e o estreante James St. Robert (22 pontos e 11 ressaltos) ajudaram a obter um resultado que os mantém vivos na classificação.
Resultados

Vitória de Guimarães – Porto Ferpinta 86-87
Lusitânia Expert – Barreirense 78-75
Académica – CB Penafiel 66-52
Ovarense Dolce Vita – Casino Ginásio 71-67
CAB Madeira – Benfica 66-68
Illiabum – Sampaense 83-93

Classificação

11v-1d: Porto Ferpinta
9v-3d: Benfica
8v-4d: Académica
7v-5d: Vitória de Guimarães e Ovarense Dolce Vita
6v-6d: Sampaense e Casino Ginásio
5v-7d: CAB Madeira
4v-8d: CB Penafiel, Lusitânia Expert e Illiabum
1v-11d: Barreirense

Presidente fora, casa arrumada

A saída de José Eduardo Bettencourt funcionou como uma chamada à realidade da estrutura do futebol sportinguista. No entanto, para que a casa possa ser arrumada em condições, é preciso vencer no Funchal.

Nos últimos dez anos, o Estádio dos Barreiros passou a ser um local de onde o Sporting costuma sair a sorrir, com sete vitórias em dez encontros disputados para a principal liga do futebol português. Nesses dez encontros, só em 2004/05 o Sporting não marcou golos, o que também demonstra que os avançados dos leões se dão bem com os ares da cidade do Funchal. No entanto, o tema da semana em Alvalade tem sido a forma como José Eduardo Bettencourt tem preparado a sua saída de cena. Congelando a contratação que estava a ser negociada (Paulo Sérgio do Olhanense), o presidente demissionário deu ordens para que se estabeleça um acordo com Izmailov, de forma a poder contar com o russo para o resto da temporada. Ao mesmo tempo, Zézinho foi incluído no lote dos convocados, mostrando inequivocamente que o Sporting conta com a pérola guineense para o futuro, tentando afastar as notícias que dão como certa uma fuga para Inglaterra do jovem jogador.

José Couceiro estará assim a mostrar serviço, sendo que tudo indica que Caneira possa ver a sua situação resolvida antes do fecho do mercado. Com todas as situações sanadas a nível disciplinar e contratual (o caso de Hélder Postiga foi resolvido nos últimos dias, com o exercício da opção por mais um ano e Jorge Mendes acertou uma pausa nas negociações dos contratos de Rui Patrício e Daniel Carriço), a nova direcção, a ser eleita a 26 de Março, terá todas as condições para encerrar o ano em paz e preparar o assalto à nova temporada. Certo é que alguns objectivos se mantém: garantir, no mínimo, o terceiro lugar na Liga (evitando mais pré-eliminatórias na Liga Europa) e lutar para vencer a Taça da Liga, exigindo-se à equipa uma presença dignificante no que toca à competição europeia onde ainda permanece. Para enfrentar esses objectivos, Paulo Sérgio parece ser o homem de confiança da estrutura que se manterá em funções até final de Março, não sendo certo que essa confiança se mantenha para lá das eleições.

Esses são os rumores que se vão escutando da parte da candidatura de Rogério Alves. Mas num momento em que é tudo menos claro quem avançará para eleições, muito menos quem poderá sair vitorioso delas, Paulo Sérgio mantém o discurso e enfrenta um adversário que não será fácil de ultrapassar. A equipa madeirense vem de uma gorda vitória em Setúbal (2-4 frente ao Vitória) e, a meio da semana, apresentou uma equipa de recurso frente ao Desportivo das Aves (dado estar praticamente eliminado da Taça da Liga). Assim, Pedro Martins terá um conjunto mais fresco à sua disposição, sendo Ricardo Esteves o único habitual titular que não estará à sua disposição, devido a castigo. O ponto forte da equipa treinada pelo antigo médio sportinguista é a frente de ataque onde Babá terá a companhia de Kléber, o que colocará à prova o último reduto verde e branco.

Já no Sporting, depois dos dois golos marcados frente ao Penafiel, Zapater poderá ser premiado com um lugar no onze de Paulo Sérgio. Sendo que André Santos tem lugar garantido no meio-campo dos leões, a dúvida está apenas em quem lhe fará companhia. De resto, com os lugares da defesa entregues, Vukcevic, Valdés, Pedro Mendes e Liedson ocuparão os restantes postos de titular. Prevendo-se um encontro equilibrado, o Sporting quererá vencer para se manter isolado na terceira posição. Já o Marítimo mantém esperanças na luta por um lugar europeu, mas para se manter em posição de o conquistar, terá mesmo que vencer o jogo frente aos leões.


quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Decisões na Euroliga

Começa hoje a segunda fase da Euroliga, com as melhores equipas da Europa a disputarem um lugar que as ponha mais perto da desejada Final Four de Barcelona. Fazemos uma apreciação das qualidades de cada uma das equipas presentes nesta fase, antecipando os espectáculos que nos serão oferecidos nas próximas seis semanas.

Grupo E

Neste grupo,  o Panathinaikos apresenta-se como principal candidato a garantir um lugar nos quartos-de-final. A dupla Diamantidis (12.8 pontos e 5.6 assistências por jogo) e Mike Baptiste (12 pontos e 6 ressaltos) foi dominadora na primeira fase e terá condições para manter o elevado nível de jogo proposto pelo treinador Obradovic.
Mirza Teletovic
O Caja Laboral apresentar-se-á como principal opositor, com Fernando San Emeterio (13.7 pontos), Marcelinho Huertas (7.8 pontos e 5.8 assistências) e Mirza Teletovic (16.8 pontos e 5.7 ressaltos)  a ganharem a companhia do uruguaio Esteban Batista para que, com Stanko Barac (14.1 pontos e 6.7 ressaltos) possam superiorizar-se fisicamente a qualquer adversário.
O Unicaja acaba de mudar de treinador, contratando Chus Mateo, cujo objectivo primordial é recuperar a confiança de uma equipa que tem estado de rastos. Em campo, Joel Freeland (13.7 pontos e 6.7 ressaltos) é a principal referência de uma equipa que andou perdida na primeira metade da temporada.
O Lietuvos Rytas não quererá ser o bombo da festa neste grupo, continuando a potenciar os seus jovens valores. Martynas Gecevicius (12.8 pontos e 2.3 assistências) e Jonas Valanciunas (8 pontos e 5 ressaltos) perderam a companhia do experiente Sarunas Jasikevicius e terão em D.J. Strawberry o seu novo director de jogo.

Grupo F

Schortsanitis
Todos nos perguntamos se o Maccabi Telavive poderá continuar o que prometeu na primeira fase. Schortsanitis (13.6 pontos e 4.8 ressaltos) enfrentará as dúvidas que se levantam sobre a sua condição física, tentando provar as suas reconhecidas qualidades. Chuck Eidson (10.7 pontos e 4.6 assistências) e Jeremy Pargo (10.4 pontos e 3.4 assistências) terão que se superiorizar a defesas ainda mais implacáveis, para garantir um lugar nas oito melhores equipas.
O Regal Barcelona será um adversário de peso, mesmo que tenha ficado em terceiro lugar do seu grupo, na fase anterior. Juan Carlos Navarro (10.5 pontos e 2.2 assistências) provou recentemente estar recuperado da lesão que o afectou, Ricky Rubio (7.4 pontos e 3.7 assistências) está cada vez mais perto da NBA e Erazem Lorbek (11 pontos e 3.7 ressaltos) atravessa um grande momento de forma. Com a adição de Alan Anderson, o Barcelona apresenta muitos argumentos para garantir o apuramento.
O Union Olimpija terá também uma palavra a dizer. O líder da Liga Adriática tem em Kevin Pinkney ( 14.4 pontos e 4.5 ressaltos) e Kenny Gregory (13.5 pontos e 5.4 ressaltos) as suas principais figuras, superiormente alimentadas pelo base Vlado Ilievski (11.3 pontos e 4.1 assistências).
O Virtus Roma será a equipa mais fraca deste grupo e perder pontos com os italianos accionará, de imediato, o alarme da eliminação. Ainda assim, Darius Washington (14.1 pontos e 3.1 ressaltos) e, sobretudo, o jovem Nihad Dedovic (9.3 pontos e 2 assistências) são jogadores que podem decidir partidas.

Grupo G

O grupo da incerteza. O Montepaschi Siena foi surpreendentemente dominador na primeira fase, mas acaba de perder Bo McCalleb (15.5 pontos e 2.7 assistências) por lesão. O experiente Marko Jaric chega para o seu lugar, mas a capacidade mágica do norte-americano vai fazer muita falta e alterar o jogo da equipa de Siena. Dois lituanos, Ksistof Lavrinovic (12.8 pontos e 6 ressaltos) e Rimantas Kaukenas (12.9 pontos e 2.2 assistências) ficam com a responsabilidade de assegurar os números da equipa.
Igor Rakocevic
O Efes Pilsen fica assim mais perto do primeiro lugar. Igor Rakocevic (15.8 pontos e 2 assistências) foi a figura da equipa na primeira fase, contando também com excelentes prestações de Bostjan Nachbar (10.8 pontos e 3.6 ressaltos) e dos turcos Kerem Tunceri (10.3 pontos e 3.8 assistências) e Kerem Gonlum (9.1 pontos e 6 ressaltos).
O Real Madrid poderá vir a ser o grande beneficiado com a lesão de McCalleb. Sérgio Llul (12.1 pontos e 3.2 assistências) tem estado muito bem, assistindo-se ainda ao aparecimento em cena do jovem Nikola Mirotic (5.4 pontos e 2 ressaltos) nos últimos encontros da ACB. Sérgio Rodriguez (3.6 assistências) no exterior e Felipe Reyes (9.9 pontos e 5.1 ressaltos) e o reforço Mirza Begic (poste de 2.16m do Zalgiris) nas tabelas, terão a responsabilidade de levar o conjunto liderado por Ettore Messina o mais longe possível.
O Partizan Belgrado não poderá ser ignorado na luta pela qualificação. A equipa sérvia conta com três americanos que asseguram a sua espinha dorsal. Curtis Jerrels (8.3 pontos e 3 assistências), James Gist (12.9 pontos e 7.3 ressaltos) e Nathan Jawai (12.2 pontos e 5.7 ressaltos). No entanto, todas as atenções se centram em Jan Vesely (7.3 pontos e 2.9 ressaltos), que trabalha na sua candidatura ao draft da NBA.

Grupo H

Turcos ou gregos, no topo deste grupo? O Fenerbahce conta com Roko-Leni Ukic (13.3 pontos e 3.6 assistências) em boa forma, para além de Darjus Lavrinovic (9.5 pontos e 3.8 ressaltos) e Mirsad Turcan (6.8 pontos e 6.7 ressaltos) como gigantes do jogo interior. A chegada do lituano Jasikevicius tornará ainda mais forte o jogo desta equipa.
Spanoulis
Por seu lado, o Olympiakos, que se apresenta como forte candidato a quebrar a hegemonia dos Panathinaikos na Liga Grega, tem um plantel quase sem fundo. Spanoulis (15.4 pontos e 4.9 assistências), Teodosic (13.8 pontos e 4.6 assistências), Bouroussis (11.5 pontos e 7.1 ressaltos), mas também Nesterovic, Papaloukas, Matt Nielsen, Zoran Erceg. Muitos jogadores para fazer a diferença, seja qual for o adversário.
Poucas esperanças para o Power Electronics Valência. Nando de Colo (10.9 pontos e 3.3 ressaltos) apresenta-se como o seu jogador mais concretizador, mesmo sem ser titular. Rafael Martín (10.5 pontos), Dusko Savanovic (10.1 pontos e 4.6 ressaltos) e Victor Claver (9.7 pontos e 4.6 ressaltos) completam um cinco alimentado por Omar Cook (4.2 assistências), mas que terá que se superar para conseguir continuar em prova.
O mesmo se aplicará aos lituanos do Zalgiris, que tem em Martynas Pocius (11.6 pontos e 2 ressaltos) e Paulius Jankunas (10.2 pontos e 7.8 ressaltos) os seus jogadores mais fortes, agora que perderam Mirza Begic. Para o seu lugar chega o gigante Boban Marjanovic, que competiu na primeira fase com a camisola do CSKA Moscovo sem grande relevo.

A Europa numa só página

A rivalidade grega
Semana de clássicos na Alemanha, o afundamento do Khimki na Rússia, o Olympiakos a sair por cima da guerra de Atenas, o Montepaschi Siena continua a bom ritmo na Itália, Fenerbahce e Banvit a ditar ordens na Turquia, a vitória do Benfica na Taça Hugo dos Santos, o Union Olimpija na liderança por terras do Adriático, o equilíbrio na Liga Francesa, as notícias da Argentina e da Liga das Américas e todo o acompanhamento das evoluções dos mais jovens jogadores da Europa, tudo para ler no Solobasket.

Má estreia para o Benfica

O clube da Luz traz um resultado pesado da Letónia (100-65), num jogo onde a diferença das equipas ficou bem marcada.

Foi um Benfica surpreendente o que entrou em campo para enfrentar o Ventspils, chegando a ter dez pontos de avanço nos primeiros minutos de jogo. No entanto, a reacção dos letões não se fez esperar, chegando ao final com um 27-31 ainda favorável aos encarnados.

Durou mais três minutos a vantagem encarnada. A equipa da casa fazia-se valer da profundidade do seu banco para fazer a diferença frente ao campeão português, que denotava sinais de cansaço e nada podia contra o maior ascendente letão. Ao intervalo, o 50-41 era ainda um respeitável resultado que acabou por se agravar ao longo do segundo tempo.

Pode-se dizer que não existiu mais Benfica a partir daqui. Com apenas 24 pontos nos dois últimos períodos, enquanto o Ventspils repetia a dose, o quadro foi ficando cada vez mais negro para as águias. O Benfica fechou o encontro com percentagens de lançamento inaceitáveis nesta competição: 43% nos lançamentos de 2 pontos, 27% nos lançamentos de 3 pontos e 53% na linha de lance livre. Do lado do adversário, os números foram 64-62-63. No capítulo dos ressaltos, os letões conseguiram mais 15 do que o Benfica. Só nos turnovers o jogo terminou equilibrado (13 para os da casa, 12 para os visitantes).

Entre os jogadores, destacar as exibições de Greg Jenkins (16 pontos, 2 ressaltos) e Heshimu Evans (12 pontos, 6 ressaltos) e Élvis Évora (13 pontos, 3 ressaltos). Entre os homens da casa, Ingus Bankevics (26 pontos, 2 ressaltos) foi o jogador em maior destaque, sendo de referir o jovem Janis Strelnieks (14 pontos, 10 assistências) pelo seu trabalho de alimentar o sucesso do Ventspils.

Na próxima semana, o Benfica recebe os franceses do Gravelines Dunkerque, em jogo a disputar no Pavilhão da Luz. 

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

O espectáculo da Eurocup

Começa hoje a disputar-se a segunda fase da Eurocup, competição onde o equilíbrio e a incerteza quanto aos resultados é uma constante. O Planeta Basket viaja, de novo, pelo basquetebol europeu, tentando fazer o retrato das dezasseis equipas que começam esta noite a disputar os lugares do quartos-de-final.

Grupo I

Maciej Lampe
O Unics Kazan apresenta-se como favorito a vencer a Eurocup deste ano, mas não terá facilidades num grupo onde vai encontrar representantes das melhores ligas europeias. Ainda assim, os russos , que lideram a Liga Russa e a Liga VTB, apresentam argumentos de peso. O base Terrell Lyday (15.7 pontos e 3 assistências de média) e o poste Macej Lampe (13.5 pontos e 8 ressaltos) vão tentar fazer esquecer a ausência do fabuloso Marko Popovic, melhor marcador da equipa e que só deverá voltar a jogar durante o mês de Fevereiro. Os espanhóis do Gran Canaria chegam a este jogo com a confiança em alta, depois de terem conseguido um passaporte para a Taça do Rei derrotando o Unicaja no seu pavilhão. Os canários têm em Jaycee Carroll (15.8 pontos) e Taurean Green (7.9 pontos e 3.6 assistências) os seus dois melhores jogadores. Para ter em atenção também o jovem Xavier Rey, um poderoso poste de 23 anos que poderá, em breve, surgir na selecção do país vizinho.
Os sérvios do Hemofarm perderam o seu principal craque, Milan Macvan, e terão que enfrentar a segunda fase da temporada com muitas mais fragilidades. Miljan Pavkovic (10.8 pontos e 3.2 assistências) e Bojan Krstovic (8.3 pontos e 3.3 ressaltos) concentrarão em si a responsabilidade de liderar uma equipa bastante jovem, onde se destaca Boris Savovic (10.3 pontos e 6 ressaltos), um extremo de 23 anos e 2.06m. Os croatas do Cedevita poderão ser um osso bem duro de roer. Com o pequeno Dontaye Draper (16.4 pontos e 6.6 assistências) a dar espectáculo no jogo exterior e os norte-americanos Corsley Edwards (14.9 pontos e 6.4 ressaltos) e Trent Plaisted (10.5 pontos e 4.8 ressaltos) a marcarem presença no jogo interior, esta equipa terá justas ambições de lutar pela qualificação.

Grupo J

Antoine Diot
Neste grupo o favoritismo recai inteiro no Aris de Salónica, que fez uma primeira fase de grande qualidade, sobretudo graças a P.J.Tucker (19.1 pontos e 8.6 ressaltos) e Christos Tapoutos (14 pontos e 7.1 ressaltos). Nos lugares de base, a equipa tem o excelente Bobby Brown (9.3 pontos e 3.7 assistências em apenas 3 jogos) e o jovem grego Konstantinos Sloukas, emprestado pelo Olympiakos. A equipa grega reforçou-se ainda com a experiência de John Thomas (34 anos e algumas passagens pela NBA), pelo que apresentará um cinco de altíssimo nível nesta Eurocup. O BC Goettingen tem compensado as fracas prestações na Liga Alemã com uma boa carreira europeia. Dwayne Anderson (16 pontos e 7.4 ressaltos) é a figura deste conjunto, onde o responsável pela construção do jogo é o base Trenton Meacham (14.7 pontos e 6.2 assistências). A expectativa é ver como se sairá o Goettingen dos combates contra franceses e ucranianos na disputa do segundo posto do Grupo.
O Budivelnyk de Kiev é treinado pelo espanhol Josep Berrocal e lidera a Liga da Ucrânia. Com uma equipa muito equilibrada e que mantém um jogo muito físico, destacam-se o extremo Zach Morley (13 pontos e5.2 ressaltos) e o base William Keys (10.7 pontos e 3.5 assistências). Já os franceses do Le Mans têm em Alex Acker (11.2 pontos e 2.2 assistências) o seu lançador preferido, alimentado pelo jovem Antoine Diot (10.7 pontos e 4.3 assistências), jovem internacional de apenas 21 anos. No jogo interior, destaque para Alain Koffi (7.2 pontos e 6.4 ressaltos) e para o internacional brasileiro João Paulo Batista (11.8 pontos e 5.5 ressaltos), duas potentes armas para enfrentar um grupo onde as decisões se tomarão bem perto das tabelas.

Grupo K

V. Stimac
Impossível de definir quem serão os favoritos num grupo onde todas as equipas apresentam suficientes armas para disputar os dois lugares que garantem a continuidade em prova. Os checos do CEZ Nymburk, que este ano se estreiam na Liga Adriática, tiveram excelentes prestações na fase inicial da competição. O base Chester Simmons (15.2 pontos) é o concretizador de serviço, numa equipa onde o base israelita Afik Nissim (14 pontos e 3 assistências), o extremo Radek Necas(7 pontos e 5 ressaltos) e o jovem poderoso Vladimir Stimac (6.6 pontos e 5.6 ressaltos) merecem destaque. O Galatasaray tem feito uma boa época, quer na Liga Turca, onde é terceiro classificado, quer na Eurocup, onde venceu o seu grupo. Taylor Rochestie e Tuktu Acik dividem a tarefa de conduzir o jogo turco, alimentando a capacidade concretizadora de Preston Shumpert (14.7 pontos) e Joshua Shipp(12.9 pontos e 5 ressaltos). O jogo interior deste conjunto é assegurado pelo eslovaco Radoslav Rancik (8.9 pontos e 4.5 ressaltos), que conta com o apoio de Ermal Kurtoglu (8.8 pontos e 3 ressaltos), numa posição que precisaria de ser reforçada.
O Asefa Estudiantes não tem correspondido às expectativas na presente temporada, embora possa, a qualquer momento, revelar as suas qualidades e disputar as partidas desta competição.  O base argentino Pancho Jasen (14.2 pontos) é o líder desta equipa que tem em Nik Caner-Medley (12.2 pontos e 6.2 ressaltos) e German Gabriel (10.8 pontos e 4.2 ressaltos) os seus jogadores mais perigosos. O Pepsi Caserta tem pago, na Liga Italiana, o facto de ter um plantel curto para disputar tantos jogos, mas dispões de um cinco inicial de grande qualidade. Fábio di Bella (15.8 pontos) é o mais eficaz de uma equipa que dispõe de Ebi Ere (13.8 pontos) e Jumaine Jones (11 pontos e 8.5 ressaltos) como referências de lançamento e luta nas tabelas.

Grupo L

Doniatas Montiejunas
Este grupo tem a curiosidade de colocar frente-a-frente as duas únicas equipas que fizeram uma caminhada invicta na primeira fase.
Uma delas é o Alba Berlim, finalista da Eurocup na época passada, que volta este ano a apresentar condições de lutar pelo título. Muita qualidade neste plantel, onde Julius Jenkins (10.2 pontos e 3.4 assistências) e Immanuel McElroy (10.8 pontos e 2.2 assistências) lideram o jogo, Marko Marinovic (10 pontos e 3 assistências) chegou de Valência para tentar repetir uma vitória na Eurocup e Tadija Dragicevic (11.6 pontos e 5.8 ressaltos) se evidencia na luta das tabelas. O conjunto alemão dispõe de muita qualidade e apresenta uma rotação de 11 jogadores, o que poderá fazer a diferença. A outra equipa invicta é o Benetton Treviso, que tem passado muito mal na Liga Italiana, mas é uma das grandes equipas das competições europeias deste ano. Stefan Markovic (5.1 assistências) é a fonte de alimentação de um conjunto que tem Devin Smith (12.8 pontos e 5.4 ressaltos) como principal lançador. O suíço Greg Brunner (7.4 pontos e 7.3 ressaltos) apresenta-se como um gigante no capítulo dos ressaltos e completam a equipa dois jogadores que estão cotados entre os melhores jovens europeus: o poste Donatas Motiejunas (11.9 pontos e 5.1 ressaltos) que todos contam encontrar no próximo Draft da NBA e o lançador Alessandro Gentile (9 pontos), de apenas 18 anos.
Os gregos do Panellinios renovaram o seu plantel quase por completo para a nova temporada, depois dos bons resultados obtidos na Eurocup (presença na Final Four) e pagam agora o preço dessa renovação. Com apenas 3 vitórias em 13 jogos na Liga Grega, conseguiram o apuramento para a segunda fase com um conjunto que vai aprendendo a jogar junto.  Maurice Bailey (11 pontos) tem-se cotado como o jogador mais valioso, numa equipa onde Emmanouil Papamakarios (8.2 pontos e 2.6 assistências) e Joseph Krabbenhoft (9 pontos e 6.8 ressaltos) também merecem alguma atenção. Não se espera, no entanto, que os gregos superem os espanhóis do Cajasol, também eles com problemas na Liga ACB. Paul Davis (10.7 pontos e 4.5 ressaltos) tem sido o bombeiro de serviço nas últimas semanas, ainda que Txemi Urtasun (14.2 pontos) e Tarik Kirksay(11.8 pontos e 5.5 ressaltos) se tenham cotado como os jogadores mais concretizadores da primeira fase. Na equipa de Sevilha, as atenções focam-se ainda em Louis Bullock (9.7 pontos), experientíssimo jogador com vários títulos conquistados no Real Madrid, e no jovem Tomas Satoransky (6.5 pontos e 3.5 assistências), que com apenas 19 anos garante já muitos minutos na rotação deste conjunto.

Os dados estão lançados nesta competição que poderemos acompanhar com transmissões em directo na Eurosport 2, disponível em vários pacotes por cabo em território nacional. O primeiro jogo a ser transmitido é o Asefa Estudiantes – CEZ Nymburk , do Grupo K, esta tarde, a partir das 19 horas. 

O que esperar da Eurochallenge

Para além do Grupo onde o Benfica marca presença, mais 12 equipas disputarão os restantes seis lugares dos quartos-de-final desta competição.

Grupo I


Miha Zupan
O Spartak de São Petersburgo é o mais forte concorrente deste Grupo, apresentando todas as condições para voltar a vencer uma competição que já ganhou em 2005. Terminando a fase regular com apenas uma derrota, contrataram o base Patrick Beverley, ex- Olympiakos e Miami Heat. Henry Domercant (15.2 ppj e 2.3 apj) é a sua principal figura, juntamente com Dijon Thompson (13.4 ppj e 5.3 rpj) e Miha Zupan (11.3 ppj e 5.3 rpj). Os búlgaros do Lukoil Academic também perderam apenas uma vez na fase regular, tendo no base de Marquette Dominic James (16.7 ppj e 4.5 apj) o seu jogador mais valioso. Mesmo perdendo o poste letão Kaspars Kambala, o Lukoil contratou o croata Bruno Sundov (2.21m, 30 anos) e tem a ambição natural de alcançar um lugar na Final Four.
As outras duas equipas são os israelitas do Maccabi Haifa e do Barak Netanya. Ambas estão nos lugares mais baixos da Ligat HaAl. O Maccabi tem no Rookie do Ano da ACC em 2009,  Sylven Landesberg (14 ppj e 2.3 apj), o seu melhor jogador, com apenas 20 anos de idade. Contrataram ainda Germaine Jackson (base de  34 anos com experiência na NBA) para adicionar alguma profundidade ao seu banco. Em Netanya, Adrian Banks (21.3 ppj e 4.3 rpj) é o homem para ter em atenção. O base nascido em 1986 é o líder da equipa e foi o melhor atirador da fase regular.

Grupo H

Os eslovenos do Krka têm que ser os favoritos neste grupo. São uma equipa de topo na Liga Adriática, têm um plantel muito equilibrado e uma excelente mistura de experiência e juventude. Os melhores jogadores são o base Goran Ikonic (13.3 ppj) e o poste Christopher Booker (13.2 ppj e 8.2 rpj). O clube turco Pinar Karsiyaka demonstrou na fase regular quão forte pode ser, como tem provado na liga turca esta temporada. O Poste Jovo Stanojevic (14 ppj e 5 rpj), e as esperanças Furkan Aldemir (11.3 ppj e 11.7 rpj - 19 anos de idade) e Birkan Batuk (20 anos de idade) são os homens a ter em conta, nesta equipa que tem vindo a crescer. A Bélgica tem duas equipas neste grupo. O Dexia Mons deverá ser o mais forte, com Ron Lewis (17 ppj) como estrela. Os  Antwerp Giants deverão ser os  últimos neste grupo, mesmo que Bryan Hopkins (18 ppj e 2.4 apj) tenha a capacidade de ganhar jogos com lançamentos da linha dos 6.75m.


Grupo L

Miro Bilan
O Lokomotiv Kuban está na luta para ser a quarta maior equipa da Rússia. Para chegar a esse nível, deverão mostrar as suas forças no EuroChallenge. Os macedónios Michael Wilkinson (15.5 ppj e 5.2 rpj) e Jeremiah Massey (12.8 ppj e 9.2 rpj) trazem liderança para um grupo onde a experiência é a principal força. O BK Prostejov representa o  crescimento de basquetebol checo, liderando o campeonato nacional. O base lituano Benas Veikalas (15.5 ppj e 2.3 apj) e Kyle Landry (13.8 ppj e 10.8 rpj) são dois jogadores muito interessantes, numa equipa que contratou o  internacional esloveno Zeljko Zagorac, para enfrentar a fase decisiva da competição. O  KK Zadar não tem tido muito sucesso na Liga Adriática, mas são uma equipa que todos querem seguir, porque têm no seu conjunto alguns valiosos jovens croatas, como Miro Bilan (2.11m / poste) e Pavle Marcinkovic (1.97m / base). O jogador mais valioso é Brandon Brown (11.2 ppj e 6.2 rpj), com experiência nas ligas polaca e italiana. O BC Oostende da Bélgica teve uma fase regular surpreendentemente boa e poderá continuar sua série de vitórias no Top 16. O  experiente conjunto  tem em Matt Lojeski (14.8 ppj e 5.2 rpj) e Darrel Mitchell (11.7 ppj e 3.8 apj) os seus bases, liderando uma equipa que não será fácil de defrontar.

Eurochallenge: Vamos lá, Benfica

Saulius Kuzminskas

Começa na Letónia a segunda fase da Eurochallenge, onde os encarnados tentam manter presentes as recordações das velhas glórias na Europa. Eis os adversários benfiquistas no Grupo K.

O Ventspils não é pêra doce. Líder do campeonato letão, com 12 vitórias e apenas 1 derrota, esta equipa está também no topo da Liga Báltica, com 9 vitórias e 4 derrotas. Os letões terminaram em primeiro lugar do seu grupo na fase regular da Eurochallenge e não espantará ninguém a sua candidatura à conquista de uma taça europeia. O único norte-americano do plantel é a grande figura do Ventspils. Rashad Anderson é um lançador com um título da NCAA no currículo (Connecticut em 2004), passagens pela D League, por Itália e pela Grécia. O Eurochallenge é a competição onde o seu jogo sobressai, apresentando uma média de 18.7 pontos nos seis jogos disputados. No jogo interior destaca-se o lituano Saulius Kuzminskas, com 28 anos e 2.10m. Este gigante venceu a Uleb Cup com o Lietuvos Rytas em 2005 e ganha 8.2 ressaltos por jogo. A contratação de inverno do Ventspils é Diddy Efejuku, jogador de origem nigeriana, com 24 anos e 1.96m. Chega para ser o base da equipa, depois de ter começado a época no Cyz Nymburk e ter passado também pelos ucranianos do Ferro. 

Os franceses do Gravelines Dunkerque estão a fazer uma excelente época na Liga doméstica (9 vitórias e 5 derrotas) e conseguiram garantir a qualificação para a segunda fase da Eurochallenge no último jogo. O base Ben Woodside lidera o jogo desta equipa, com 14.8 pontos e 5.3 assistências. O experiente dominicano Jeff Greer, acompanha-o no jogo exterior, servindo os internacionais franceses Cyril Akpomedah e Issa Dounia, para além do jovem gigante marfinês Frejus Zerbo. Esta equipa conjuga experiência e juventude, apresentando-se como um adversário difícil, apesar do basquetebol francês não contar entre os mais agressivos da Europa.

A surpresa deste grupo são os suecos do Norrkoping Dolphins. Com uma carreira banal na Liga Sueca (12 vitórias e 6 derrotas) e pouca expressão na Liga Báltica (6 vitórias e 7 derrotas), os golfinhos venceram um grupo dificílimo na primeira fase e têm a confiança em alta para esta segunda fase. Com um conjunto de jogadores muito experiente, o destaque vai todo para o poste Joakim Kjellbom, com 2.13m. O jogador apresenta médias de 16.9 pontos e 9.1 ressaltos, sendo muito rápido para a altura que apresenta. Mikael Lindqvist é o base da equipa, que pode tornar-se numa arma letal, em noites de inspiração. Na casa dos trinta, a equipa sueca apresenta um trio de norte-americanos (George Gervin, Andrew Mitchell e Fred Drains), para além do lituano Povilas Sakinis. A equipa reforçou-se com mais um extremo/poste, Hanke Randall, com 2.11m, e passagens por Espanha e pela Rep. Checa.

A equipa portuguesa não vai ter tarefa fácil, ainda que os resultados atingidos na primeira fase justifiquem, por completo, a inscrição do Benfica na competição. Espera-se que na próxima temporada mais equipas possam seguir o exemplo do clube da Luz, já que a FIBA abre a possibilidade para que todas as equipas europeias se possam inscrever na pré-eliminatória da competição. 

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Benfica leva Taça Hugo dos Santos

Grande jornada de promoção do basquetebol português terminou num jogo emocionante, onde o Benfica mostrou mais experiência e venceu a competição.

Embora o Porto Ferpinta tenha mostrado estar mais forte nos dois primeiros dias de competição, o Benfica acaba por ser um justo vencedor da Taça Hugo dos Santos, dividindo assim as vitórias nas competições já disputadas este ano.

Com uma entrada bem mais conseguida no jogo, os homens de Moncho López davam sinais de estar em condições de assegurar a vitória. No entanto, o Benfica soube reagir e chegou ao intervalo com a vantagem. No regresso das cabines, o Porto voltou a estar em destaque e tomou a liderança do encontro até ao minuto final. Os últimos 34 segundos foram dramáticos, com a incerteza a dominar os espíritos de todos aqueles que assistiam à partida.

Com Miguel Minhava e Heshimu Evans a conseguirem cestos que colocavam a vantagem do lado dos encarnados, Greg Stempin desperdiçou um ataque lançando dos 6.75m e hipotecando a possibilidade do Porto resgatar a vantagem. O Benfica foi muito mais experiente na forma de gerir o jogo e surpreendeu na última jogada, colocando a bola em Heshimu quando toda a defensiva portista estava concentrada em Ben Reed.

Essa opção acabou por ser decisiva, já que Heshimu Evans gastou 3 dos 4 segundos disponíveis e ganhou uma falta a David Gomes debaixo do cesto. Concretizando apenas um dos dois lançamentos livres, o internacional português confirmou a vitória benfiquista, já que no último segundo disponível, o Porto só conseguiu colocar a bola em Sean Ogirri, que tentou um lançamento desesperado do meio-campo, sem sucesso.

O MVP desta final foi Miguel Minhava que concretizou 15 pontos, ganhou 7 ressaltos e entregou 2 assistências. No conjunto dos três dias de competição, o jogador em maior destaque foi o portista Greg Stempin, finalizando com médias de 17.3 pontos, 8.3 ressaltos e 4.7 assistências.

Resultados

Jornada 1
Porto Ferpinta – Vitória de Guimarães 83-49
Académica – Benfica 77-86

Jornada 2
Porto Ferpinta – Académica 79-76
Benfica – Vitória de Guimarães 70-62

Jornada 3
Académica – Vitória de Guimarães 70-55
Porto Ferpinta – Benfica 75-76