quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

O lançamento do SL Benfica

|Luís Cristóvão

Cada campeonato de basquetebol oferece uma inúmera quantidade de pormenores para poderem ser analisados, de forma a melhor compreendermos os resultados dele saídos. Esta semana, dedicamo-nos a analisar a estatística de lançamento do SL Benfica, para perceber de que forma o líder da LPB impõe a sua força.



Se quiséssemos tentar resumir o lançamento do SL Benfica numa só palavra, diríamos que se trata de uma equipa de lançadores perfeitos. Não tendo acesso a um shoot-chart que nos indique com maior propriedade onde cada jogador dos encarnados se destaca, não é difícil dizer que Jobey Thomas veio trazer um acréscimo de qualidade ao tiro exterior, área onde o Benfica já era bastante forte no ano passado. No entanto, o norte americano chegado de Itália apresenta uma percentagem de 55% para lá da linha de três, enquanto o seu antecessor Lacedarius Dunn se “ficava” pelos 39%. Se considerarmos todos os lançamentos dos dois jogadores, o Benfica perde um atleta muito efetivo na penetração (somava uma média de 61% no tiro interior), mas ganha 4,4% de eficácia na soma de todos os lançamentos, o que significa, também, 0,13 pontos por cada lançamento efetuado.

Com João Gomes, numa amostragem mais pequena, a revelar um enorme crescendo de qualidade no lançamento de três pontos, Fred Gentry mantém-se a um bom nível, em apenas quatro encontros, com Seth Doliboa a perder eficácia de lançamento. No entanto, a mudança de base, com Mário Fernandes a chegar para o lugar de Ricky Franklin, também significa uma melhoria no lançamento exterior, pelo que se poderá dizer, em traços largos (e, uma vez mais, com o shoot-chart isto poderia ser analisado de forma mais concreta), que o Benfica passou de ser uma equipa de penetração Dunn/Franklin, para ser uma equipa de lançamento exterior  Thomas/Fernandes.

Finalmente, no que toca à mudança de Élvis Évora por David Weaver, a equipa não acrescentou nada em termos de lançamento, sendo, no fundo, dois jogadores muito equivalentes naquilo que podem oferecer ao conjunto.

Aproveite as informações e análises da LPB na Gazeta dos Desportos para melhorar as suas apostas na Dhoze. Visite o site desta conhecida marca. 

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Algés quer estar no topo!

|Luís F. Cristóvão

Ao receber e vencer a Oliveirense, o Algés volta a marcar posição no topo da classificação, aproveitando também o deslize do Vitória de Guimarães em Ovar. O Benfica, por seu lado, continua imparável no primeiro lugar da LPB.


O domínio do Algés nunca esteve em causa, na vitória por 72-64 frente à Oliveirense. Num curioso confronto entre dois treinadores que, ainda no verão passado, faziam parte dos quadros da FPB, a equipa de André Martins revelou maior experiência e maturidade, mantendo-se sempre na frente do marcador. João Santos, com 14 pontos e 7 ressaltos, e Josimar Cardoso, com 15 pontos e 4 ressaltos, foram os dois jogadores em destaque na equipa dos arredores de Lisboa, enquanto Aaron Fuller, com 18 pontos e 8 ressaltos, voltou a ser o jogador com melhor performance no conjunto de Oliveira de Azeméis.

O Ovarense Dolce Vita voltou a estar no jogo que colocou em causa o prognóstico das casas de apostas desportivas, como a Dhoze, mas desta vez a favor dos vareiros, que bateram o Vitória de Guimarães por 81-74. Uma fantástica recuperação durante o segundo período colocou a equipa de Ovar na frente e acabou por ser fundamental para a assegurar a vitória. Sergi Coll, com 22 pontos, e Cristóvão Cordeiro, com 13 pontos e 10 ressaltos, foram os jogadores com maior impacto no sucesso vareiro, cabendo a Paulo Cunha, com 24 pontos e 7 ressaltos, o destaque de MVP dos vimaranenses.

O SL Benfica voltou de Barcelos com mais uma vitória, ainda que o clube local não tenha facilitado as coisas, terminando o encontro com 77-64 favorável às Águias. Seth Doliboa, com 15 pontos e 12 ressaltos foi o homem do jogo, com Nikola Tadic, com 8 pontos e 13 ressaltos a marcar a diferença no jogo interior dos barcelenses, enquanto Rui Coelho somou 20 pontos.

O Galitos Tley perdeu a hipótese de se isolar no segundo lugar, perdendo frente ao DOSAPAC/Maia Basket por 57-70. Os duplo-duplos dos maiatos Nuno Marçal (18 pontos, 11 ressaltos) e Miuchel Diouf (12 pontos, 11 ressaltos) fizeram a diferença, com Miguel Minhava a ser o melhor dos barreirenses com 20 pontos e 6 ressaltos. Finalmente, o Sampaense voltou às vitórias, com um 89-81 frente ao Lusitânia Expert, ganhando assim ligeira vantagem na corrida pelo playoff. Joel Almeida, com 31 pontos e 9 ressaltos foi o MVP da semana, tendo em Jovonni Shuler, com 22 pontos e 10 ressaltos, um companheiro à altura. Na equipa açoriana, os 20 pontos e 5 ressaltos de Zane Campbell merecem nota.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Benfica dá prova de força

|Luís Cristóvão

Na primeira jornada após a desistência oficial da Académica, o Benfica reafirmou o seu poderio neste campeonato ao vencer a Oliveirense por 37 pontos de diferença. O Vitória de Guimarães continua a perseguir o líder, com o CAB Madeira e o Galitos Tley também por perto.



O Benfica não permitiu qualquer veleidade à Oliveirense, vencendo por 112-75 e confirmando o favoritismo que lhe era dado pelo site de apostas desportivas Dhoze. Jobey Thomas e João Betinho Gomes foram as figuras do jogo, o norte-americano com 27 e o português com 25 pontos, sendo que Betinho somou ainda 15 ressaltos à sua exibição. Com Carlos Ferreirinho a ter bastantes minutos para se mostrar, destaque para os 11 pontos feitos pelo jovem internacional português. Na equipa de Oliveira de Azeméis, nota para o facto de ter feito menos turnovers do que o seu adversário, sendo que, individualmente, Aaron Fuller e João Soares, ambos com 18 pontos e 7 ressaltos, foram os atletas que se destacaram.

O Vitória de Guimarães também deu uma demonstração da sua qualidade ao recuperar de uma desvantagem ao intervalo na deslocação ao pavilhão do Lusitânia Expert, acabando por vencer por 92-77 após prolongamento. Todos os titulares da equipa minhoto somaram em duplo-dígito, com Anthony Meier a fazer 22 pontos e José Silva 20. Os 12 ressaltos de Meier merecem também destaque. As grandes exibições de dois açorianos não foram suficientes para levar a sua equipa até ao fim do prolongamento, com James Smith a fazer 30 pontos e 5 assistências, enquanto Marcelo Momplaisir somou 15 pontos e 17 ressaltos. Zane Campbell teve nota negativa, ao fazer cinco faltas pessoais em pouco mais de 13 minutos em campo.

O CAB Madeira continua a sua recuperação, tendo batido a Ovarense por 88-75. Fábio Lima (22 pontos, 7 ressaltos), Aaron Anderson (15 pontos, 10 ressaltos) e Joseph Wall (26 pontos) merecem nota de destaque, enquanto na equipa vareira foi Fernando Neves, com 19 pontos, o melhor marcador. Nos restantes encontros, o Galitos Tley venceu o Sampaense por 101-96, após duplo prolongamento, com Miguel Minhava a somar números incríveis, com 38 pontos, 11 ressaltos e 6 assistências, tendo estado em campo durante os 50 minutos de jogo! Na equipa de São Paio de Gramaços, Eki Viana, com 15 pontos e 14 ressaltos foi o melhor jogador. O Algés demonstrou, uma vez mais, ser uma equipa complicada de bater, vencendo o DOSAPAC/Maia Basket por 81-58. Diogo Correia foi o melhor marcador, com 17 pontos, com Josimar Cardoso a merecer destaque pelo duplo-duplo de 14 pontos e 10 ressaltos. Nos maiatos, Nuno Marçal voltou a estar em destaque, com 16 pontos e 10 ressaltos.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Mancha negra na LPB

|Luís F. Cristóvão

O fim-de-semana do basquetebol nacional ficou marcado pela falta de comparência da Académica à partida frente ao Oliveirense, devido a problemas financeiros da secção. Na vertente competitiva, Vitória de Guimarães e Benfica são agora líderes isolados, depois do Galitos Tley ter perdido na casa do primeiro.



Uma falta de comparência, sem qualquer aviso prévio que não um telefonema a não dar certezas sobre a ocorrência, assim aconteceu com a Académica, este fim-de-semana. A Oliveirense acabou por somar uma vitória simbólica, por 20-0, pairando agora a incerteza sobre a continuidade da equipa de Coimbra em prova. Para evitar mais castigos, os Estudantes marcaram presença no jogo da Taça de Portugal, disputado, no domingo, frente ao Desportivo de Leça, mas aguardam-se ainda desenvolvimentos sobre a situação da equipa.

Mas olhemos para o desporto, que é o que interessa neste artigo. O jogo da jornada colocava, frente a frente, Vitória de Guimarães e Galitos Tley, dois dos líderes da prova. A equipa barreirense ainda entrou melhor na partida, vencendo o primeiro período, mas a maior qualidade dos vimaranenses acabou por vir ao de cima, vencendo a partida por 81-61. Anthony Meier, com 25 pontos, José Silva, com 20 pontos,  e Pedro Pinto, com 13 assistências, foram as figuras da equipa da casa, enquanto Miguel Minhava e Andrew Bachanov, ambos com 15 pontos, estiveram em destaque na equipa forasteira.

O Benfica mantém-se na frente depois de uma vitória fácil no pavilhão do Maia Basket, por 82-55. Jobey Thomas, com 6 em 7 nos lançamentos triplos e um total de 24 pontos, voltou a ser peça central da equipa encarnada, perante os maiatos, que foram sempre incapazes de se mostrar competitivos perante o campeão. Paulo Diamantino, com 14 pontos e 6 ressaltos, foi o jogador em maior destaque na equipa da casa.

A grande surpresa da jornada acabou por acontecer em Ovar, com a Ovarense Dolce Vita a ficar, uma vez mais, aquém do prognosticado pelas apostas da Dhoze. Desta vez foi o Lusitânia Expert quem conseguiu ultrapassar os vareiros, vencendo por 69-66. Num jogo marcado por intenso equilíbrio, e empatado a menos de dois minutos do final, os açorianos foram mais sólidos, com James Smith a somar 23 pontos e Zane Campbell a terminar com 18 pontos e 8 ressaltos. Na equipa da casa, dois duplo-duplos não foram suficientes. Sergi Coll somou 22 pontos e 10 ressaltos, enquanto Miguel Miranda adicionou 15 pontos e 12 ressaltos à sua equipa.

O CAB Madeira vai marcando a sua recuperação, tendo somado mais uma vitória, por 95-70, em Barcelos. Fábio Lima, com 24 pontos e 16 ressaltos, conseguiu a melhor exibição da semana, perante Marko Loncovic, que também somou um duplo-duplo, com 17 pontos e 15 ressaltos. O Sampaense conseguiu reagir aos problemas físicos que afetavam a sua equipa, batendo o Algés por 89-67. Joel Almeida (20 pontos, 14 ressaltos), Jovonni Shuller (18 pontos) e Eki Viana (10 pontos, 10 ressaltos) estiveram em destaque, enquanto Rui Quintino, com 14 pontos, foi o melhor marcador do Algés.


quarta-feira, 20 de novembro de 2013

O plano e o momento

|Luís F. Cristóvão

Para se poder avaliar com eficiência a qualidade do trabalho desenvolvido ao longo de uma preparação de temporada ou no período que antecede o jogo, é necessário fazê-lo em competição. Por isso mesmo, quando depois de um mês totalmente dedicado ao treino, se entra finalmente no campeonato, as dificuldades e fragilidades começam a surgir.


Perante esse choque com o adversário, ganha importância a pergunta sobre o que depende do planeado pelo treinador e o que depende da decisão do jogador. No plano do treinador entram diferentes tipos de informação, como a filosofia definida para a equipa, as jogadas desenhadas para se conjugarem com essa filosofia, a forma como elas foram sendo passadas e implementadas nos treinos, o scouting realizado do adversário. Mesmo num nível competitivo baixo, estes são todos elementos essenciais do trabalho técnico a desenvolver. No plano do jogador, existem muitas variantes que estão intimamente ligadas com as do seu técnico, mas é preciso também adicionar tópicos como a formação do atleta, a experiência adquirida ao longo da sua vida competitiva  e a forma como foi estabelecendo essa biblioteca de informação em si mesmo, a capacidade de identificar e analisar, em jogo, aquilo que lhe está a acontecer e o que pode fazer para o ultrapassar.



Assim, é essencial que o treinador tenha uma preocupação dupla quando passa a sua filosofia e o seu playbook para os jogadores. É necessário que todos tenham bem clara a sua missão no grupo e no jogo, sendo que essa mesma missão pode sempre ser discutida previamente (no início da temporada), considerando-se ainda a oportunidade de ela ser acertada em momentos específicos (no início da semana de preparação). Esse reconhecimento da sua função é essencial para que o jogador consiga elaborar, na sua consciência, a gestão dos seus papéis. Isso obriga o jogador a reposicionar-se perante a equipa, sendo essencial que o faça para atingir o sucesso (o melhor lançador numa equipa pode, numa outra, ser o melhor defensor – e isso obriga a um reenquadramento do seu papel). Nesse sentido, o jogador tem ainda que deter a capacidade de reconhecer os seus colegas e adversários (daí a importância do scouting, que pode ser aplicado nas duas vias: para conhecer com quem se vai jogar, mas para cimentar, também, o conhecimento que temos do nosso jogo). Ao reconhecer as capacidades daqueles que estão em campo consigo, o jogador terá a oportunidade de melhor explorar as suas qualidades e esconder, como possível, as suas fragilidades.

Chegados aqui, podemos perceber que os papéis que cabem ao treinador e aos jogadores estão em total consonância e relacionam-se entre si durante todo o ciclo competitivo, desde o início do primeiro treino até ao final do jogo. As responsabilidades são sempre divididas e é nesse sentido que cabe a cada ter sempre bem claro a existência do outro como complemento necessário para o sucesso. Da mesma forma, a existência de um plano é sempre o primeiro passo para que a decisão tomada a cada momento possa obter o melhor resultado. Equipas que não planeiam, por muito bons que os seus jogadores possam ser individualmente, caminham para o falhanço. Técnicos que dispõem de planos bastante elaborados mas que não adquirem as ferramentas para gerir a sua criação no momento em que ela é colocada em prática, alimentam apenas frustrações. O plano e o momento estão interligados. É isso mesmo que transforma o jogo numa situação tão envolvente para todos os que nele participam.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Liderança tripartida na LPB

|Luís F. Cristóvão

Ao fim de quatro jornadas, o equilíbrio é a nota de maior destaque na Liga Portuguesa de Basquetebol. O Vitória de Guimarães perdeu em Algés e está agora acompanhado pelo Benfica e pelo Galitos Tley, que venceu de forma clara o Lusitânia Expert.



Jogo de muita emoção em Algés, onde a equipa local, com muita juventude, conseguiu parar o Vitória de Guimarães, vencendo por 78-77.Com o pavilhão cheio e a equipa da casa a conseguir manter-se na frente do marcador, os últimos dois minutos de jogo foram de cortar a respiração, com as defesas a superiorizarem-se aos ataques. O Vitória de Guimarães beneficiou de uma falta anti-desportiva com poucos segundos para jogar, mas depois de conseguir converter os lances livres, não foi capaz de montar uma jogada para vencer a partida e confirmar o prognóstico da Dhoze, apostas desportivas. Rui Quintino, com 15 pontos e 9 ressaltos, foi o jogador em maior evidência no Algés, que teve ainda em António Pires, Diogo Ventura e Josimar Cardoso elementos de muita valia para este resultado. Nos vimaranenses, José Silva, com 18 pontos, e Paulo Cunha, com 11 pontos e 9 ressaltos, merecem destaque, tendo sido bem acompanhados por João Balseiro e Anthony Meier.

O Galitos Tley voltou a vencer uma partida e sem margem para dúvidas, tendo batido o Lusitânia Expert por 81-53.Miguel Minhava vai deixando claro que é um jogador de topo nesta Liga, tendo somado 17 pontos, 6 ressaltos e 5 assistências, sendo que a dupla de norte-americanos dos barreirenses também vai dando boa resposta, com Andrew Bachanov a somar 16 pontos e 8 ressaltos, e Quinton Doggett a marcar 14 pontos e 5 ressaltos. Na equipa açoriana, Marcel Momplaisir, com 10 pontos e 11 ressaltos somou um duplo-duplo que se destacou num grupo desinspirado.

A Ovarense Dolce Vita regressou às vitórias na viagem a Barcelos, tendo batido a equipa local por 67-62. André Pinto, com 15 pontos e 9 ressaltos, foi central para este resultado, enquanto José Barbosa, com 16 pontos e 4 assistências acabou por ser o melhor marcador da equipa. Nos barcelenses, total destaque para a exibição de Nikola Tadic, um gigante sérvio que poderá vir a ser figura neste campeonato. Com 17 pontos e 15 ressaltos, foi ele o responsável por manter a equipa da casa em jogo até ao último período.

A jogar perante o seu público, o Benfica venceu o Sampaense por 97-73, não permitindo nova surpresa da equipa orientada por José Calabote. João Gomes, com 29 pontos e 7 ressaltos, Jobey Thomas, com 29 pontos, e Seth Doliboa, com 9 pontos e 17 ressaltos, fizeram exibições mais do que seguras. No Sampaense, nota para o trabalho de Eki Viana, que somou 10 pontos, 5 ressaltos e 6 assistências.

O CAB Madeira parece estar de volta aos seus melhores momentos, vencendo a Oliveirense por 100-74. Com cinco atletas a somar pontos em duplo dígito, Aaron Anderson voltou a ser figura, com 22 pontos e 15 ressaltos, enquanto Ricky Franklin somou o mesmo número de pontos e 11 assistências. Na equipa de Oliveira Azeméis, Aaron Fuller alcançou 23 pontos e 12 ressaltos. Finalmente, a Académica voltou a denotar muita fragilidade, perdendo com o Maia Basket por 47-67. Bruno Costa somou um duplo-duplo na equipa da casa, com 12 pontos e 10 ressaltos, enquanto Nuno Marçal, com 10 pontos e 12 ressaltos, foi o MVP da partida.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Serge Aurier (Toulouse)

|Francisco Sousa



E eis que a Costa do Marfim encontrou um substituto mais do que decente para um Eboué que está prestes a entrar na fase descendente da carreira. Serge Aurier, 20 anos, lateral-direito dos franceses do Toulouse, pode muito bem vir a ser uma das boas revelações do próximo Mundial, caso a selecção dos Elefantes se consiga apurar. Habitual titular na Ligue 1, Aurier apresenta características muito interessantes para um jogador desta idade. Muito consistente do ponto de vista defensivo, fecha o espaço com agressividade, seja pelo solo ou no jogo aéreo. A atacar, apoia geralmente bem, usando a sua velocidade para criar desequilíbrios e movimentos de ruptura. Esta época já leva 2 assistências em 7 jogos da Liga, se bem que até possa melhorar um pouco nesse capítulo. Com 20 anos, tem uma considerável margem de progressão. Acredito que venha a chegar longe…

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Benfica tropeça em Guimarães

|Luís F. Cristóvão

À terceira jornada da LPB, o Benfica, grande favorito a repetir o título nacional, perdeu no pavilhão do Vitória de Guimarães, que lidera isolado a competição. A Ovarense Dolce Vita, outro dos candidatos, foi também surpreendida, mas em casa, pelo Galitos Tley.



O Vitória de Guimarães tem sido um dos adversários mais complicados para o Benfica, nos últimos anos, e este fim-de-semana voltou a bater o prognóstico da Dhoze, Apostas Desportivas, para ganhar por 80-70. Foi uma vitória sem qualquer tipo de discussão, já que os vimaranenses foram superiores durante os três primeiros períodos, bastando-lhes gerir a vantagem no período final. Pedro Pinto pode bem ser considerado o homem do jogo, tendo somado 26 pontos e seis assistências. Em bom plano estiveram ainda João Balseiro, com 18 pontos, e Anthony Meier, com 15 pontos e seis ressaltos, apesar das cinco perdas de bola acumuladas. Do lado encarnado, destaque para a péssima prestação a partir da linha de três pontos, com Mário Fernandes a ser o jogador com melhor prestação global, ao somar 20 pontos. O Benfica não contou com Carlos Andrade, Fred Gentry, Diogo Carreira e Carlos Ferreirinho, tendo o jovem Ricardo Rosa voltado a somar minutos na rotação de Carlos Lisboa.

domingo, 10 de novembro de 2013

Fabian Schär (Basileia)

|Francisco Sousa


Um dos defesas-centrais mais promissores dos campeonatos médios do futebol europeu. Já titular pela selecção da Suíça, Schär, 21 anos, é um jogador robusto, alto (1,86m), fisicamente forte, rápido e eficaz em antecipação e muito astuto a aproveitar as bolas paradas ofensivas, utilizando todos os seus recursos ao nível do jogo aéreo. Sai bem a jogar, embora assuma acções de muito risco em várias situações. Essas saídas e algumas tentativas de antecipação no timing errado devem ser mais bem trabalhadas. Se assim for, tem condições para se tornar num central de topo.

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Maxime Lestienne (Club Brugge)

|Francisco Sousa



Uma das maiores pérolas da nova vaga belga, sendo que, de forma incrível, ainda actua nos relvados da Jupiler League. Maxime Lestienne, internacional belga, 21 anos, é um extremo esquerdino, que tanto pode jogar na esquerda como na direita. Rápido, com muita técnica, forte no drible e nos movimentos em diagonal, Lestienne desequilibra facilmente qualquer defesa, gerando vários golos, quer através de remates seus, como de cruzamentos precisos para os seus companheiros. Sabe também marcar bolas paradas, o que representa outra vantagem tremenda neste jogador. Tenho a plena convicção que esta será a sua última época na Liga belga. Depois disto, dará o salto para uma grande equipa de um campeonato maior.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Liga Portuguesa de Basquetebol – Geração “Juventude”

| Ricardo Silva

A edição 2013-2014 da Liga Portuguesa de Basquetebol apresenta, na constituição da globalidade das equipas que a compõem, muitos atletas jovens e com uma margem de progressão elevada. De facto, esta questão relacionada com a presença de um elevado número de jogadores jovens reflete por um lado as dificuldades financeiras dos clubes e por outro a qualidade apresentada pela maioria destes atletas que assim têm mais possibilidades de conquistar o seu espaço desde que a sua capacidade de trabalho, empenho, investimento e humildade corresponda.

Uma nota importante a referir neste artigo está relacionada com a seleção feita por nós no destaque a esta fornalha de atletas jovens. Assim, decidimos destacar atletas nascidos em 1993 ou após este ano, procurando manter a coerência de artigos realizados noutras temporadas pelo nosso colega Luís Filipe Cristóvão.

De uma forma geral todas as equipas presentes nesta edição possuem nos seus plantéis jogadores jovens que com os primeiros jogos da competição, além dos realizados no Troféu António Pratas, já começaram a conquistar o seu espaço na rotação das suas equipas e alguns deles até a apresentarem um tempo de jogo considerável.

O maior destaque, na nossa opinião, para a atual temporada passa por sete jogadores que apresentam um nível qualitativo que permite desde já a utilização destes com regularidade e disponibilizando de minutos de qualidade às suas equipas na Liga Portuguesa de Basquetebol. Deste grupo de atletas fazem parte André Calabote base do Sampaense Basket, Artur Castela extremo-poste do Sport Lisboa e Benfica, Diogo Ventura base do Sport Algés e Dafundo, Emanuel Sá extremo-poste da Ovarense Dolce Vita, Henrique Piedade extremo do Sport Algés e Dafundo, Miguel Toreia base do Vitória Sport Clube e Pedro Costa da Ovarense Dolce Vita.

Na posição de base, em São Paio de Gramaços, André Calabote (Geração de 1993) terá certamente uma temporada com mais minutos de utilização que a anterior, a sua primeira na LPB, o que será seguramente um momento de afirmação de um jogador bastante ofensivo e sem receio de dar o passo em frente ao nível atacante. Já no final da época passada, Calabote, tinha conseguido obter mais minutos de utilização, confirmando-se no brilhante início da presente temporada em que tem sido o base titular da equipa em todos os jogos realizados, quer do troféu António Pratas, quer na LPB. A prometer!

Na Luz, e depois de nas duas épocas anteriores ter tido uma participação simultânea na equipa sénior e na equipa B, embora com muito maior espaço na equipa secundária do Benfica, Artur Castela (Geração de 1993) inicia uma nova temporada tendo como principal referência e garantia a progressão na equipa sénior do Campeão Nacional. Este extremo-poste, jogador internacional por Portugal desde o escalão de Sub16 até Sub20, apesar de tão tenra idade já conquistou praticamente tudo, quer ao nível da formação quer ao nível sénior, terá na presente época a possibilidade de trabalhar de forma mais regular com colegas de equipa e de posição com um excelente nível, casos de Seth Doliboa, Fred Gentry, David Weaver, Claúdio Fonseca e o outro jovem Pedro Belo (Geração de 1992), permitindo-lhe por certo uma tremenda evolução e um desenvolvimento que lhe possibilitará conquistar mais minutos aos que apresenta de momento na equipa principal, ou seja, média próxima dos 10 minutos por encontro nas competições realizadas, Troféu António Pratas, Supertaça e LPB. Por último referir que Artur Castela aporta ao Benfica uma excelente capacidade ressaltadora, um faro tremendo pelo desarme de lançamento e uma eficácia ao nível do lançamento interior e exterior. Por outro lado, o Benfica beneficia também da presença na sua equipa principal do jogador com mais anos de clube, mais concretamente nove, transmitindo a toda a formação do clube de que é possível chegar aos seniores do Campeão Nacional.

Em Algés “reside” Diogo Ventura (Geração de 1994), atleta ainda com idade sub-20, com potencialidade para manter e até aumentar o seu espaço dentro da equipa, apesar de esta ser formada por muitos jogadores para as posições exteriores, garantindo uma competitividade tremenda nas posições referidas. De facto, este base, também internacional por Portugal em todos os escalões de formação, face aos recursos que apresenta garante qualidade ofensiva e defensiva na filosofia de jogo do treinador André Martins, apresentando na nossa opinião características bastante compatíveis com a forma de jogar desta equipa, ou seja, alta intensidade defensiva e transições rápidas. Até ao momento, Ventura, tem sido o base titular em todos os jogos realizados pela sua equipa e com uma média superior a 28 minutos por encontro, apresentando também bons números ao nível dos pontos, 13,5 por jogo, assistências, 4,5 por jogo, roubos de bola, 2,0 por jogo e uma valorização média de 16,5 por jogo.

Ainda no clube algesino, destacamos o base-extremo Henrique Piedade (Geração de 1994), atleta internacional nos escalões Sub-18 e Sub-20, que reforçou a equipa lisboeta na presente época e que conseguiu desde já impor-se na principal equipa sénior do Algés, conquistando em crescendo minutos atrás de minutos nos quatro jogos oficiais já realizados, Troféu António Pratas e LCB, conseguindo obter uma média acima dos 21 minutos por jogo, ou seja, sexto homem da equipa. Piedade, tal como Ventura, simboliza o tipo de jogador à imagem da filosofia de jogo do treinador André Martins, em que a vertente física aliada às capacidades defensivas são tremendamente importantes para conseguir a manutenção de um ritmo elevado durante as partidas. Por outro lado, Piedade é um atleta explosivo, intenso, com uma boa capacidade de anotação em termos ofensivos o que permite na nossa opinião continuar a evoluir a bom ritmo na LPB.

A norte, Emanuel Sá (Geração de 1993) da Ovarense Dolce Vita, iniciou a presente temporada com uma média de utilização idêntica à da temporada passada em que conseguiu obter 14 minutos por jogo. Este extremo-poste, é um atleta internacional Sub-20 por Portugal que entra na rotação do jogo interior da equipa de Ovar, sendo esta a sua terceira temporada na principal liga portuguesa. A concorrência no jogo interior, posições 4 e 5, da Ovarense Dolce Vita, embora a maioria dos atletas se não a totalidade sejam atletas de características da posição 3 e 4, extemos e extremos-postes, irá por certo provocar a necessidade de se superar para conquistar mais minutos na equipa principal do clube. As características deste atleta, um jogador de equipa, beneficiam na nossa opinião, a competitividade dentro da equipa, possibilitando minutos repartidos com Miguel Miranda, Sergi Coll, Cristovão Cordeiro e André Pinto.

Além de , a equipa de Ovar possui no seu “roster” diversos atletas jovens, embora na nossa opinião o outro destaque que achamos pertinente realizar com maior grandeza será para Pedro Costa (Geração de 1993). Este base, atleta internacional por Portugal nas categorias de base, Sub-16 e Sub-18, e formado no clube, apresenta-se na sua terceira temporada na LPB e para já com uma consistência maior, média de 10 minutos por jogo, nos cinco já realizados de carácter oficial. Será certamente um ano em que poderá ter mais espaço para conquistar tempo de jogo e demonstrar toda a sua capacidade.

Do berço da nação, surge o base lançador Miguel Toreia (Geração de 1993) do Vitória Sport Clube, atleta que se iniciou e progrediu no seu clube de formação Vasco da Gama até ao escalão de Sub-18 e que posteriormente esteve dois anos no Desportivo de Leça antes de se mudar nesta época para Guimarães. De facto, e apesar de algum tempo de jogo já conquistado, 10 minutos de média por jogo, o atleta não esteve feliz nos primeiros três jogos realizados pelo Vitória mas apesar disso no último jogo já conseguiu apresentar alguma da sua qualidade. Na nossa opinião, e após o natural período de adaptação a uma nova realidade e liga, achamos que Toreia irá conseguir obter o seu protagonismo e espaço dentro de uma equipa competitiva que irá lutar pelos lugares cimeiros da classificação.

Por último e em complemento a este leque de jogadores que destacámos, entendemos que existem outros dois atletas que esta temporada também deverão “estar debaixo de olho”. São eles os jovens da “Geração de 1996” Francisco Amiel e Luís Câmara do Sport Algés e Dafundo, respetivamente base e extremo da formação de Lisboa. Os dois jogadores são internacionais Sub-16 e Sub-18 por Portugal e ainda possuem idade de Sub-18. Apesar da juventude, Câmara já se estreou na temporada passada na LPB e com uma prestação bastante positiva e Amiel acabou por se estrear no presente ano, após a sua transferência para o clube. Tal como tem vindo a acontecer neste início de temporada, as oportunidades dadas pelo treinador da equipa, André Martins, estão a surgir e ambos os atletas têm merecido a confiança que lhes tem sido dada, produzindo boas exibições.


Em conclusão, boas sensações estão por diante destes jovens!

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Sampaense volta a dizer presente

|Luís F. Cristóvão

Na segunda jornada da Liga Portuguesa de Basquetebol, o Sampaense voltou a dizer presente, destacando-se com uma vitória frente ao CAB Madeira por 88-81. A equipa de João Freitas começa a temporada longe da sua melhor forma, apesar de ter disputado até ao final os encontros disputados. Noutros encontros, destaque para as vitórias da Oliveirense e Galitos - Tley frente à Ovarense e Algés.



O Sampaense começou o jogo a dominar, na Madeira, distanciando-se do CAB logo no período inicial, mas a boa reação da equipa da casa no 3º período chegou a fazer pensar que o resultado mais esperado, a vitória do CAB, seria alcançado. No entanto, o conjunto de José Calabote foi capaz de voltar a pegar na partida, terminando com uma vitória por 88-81 que relança a sua equipa na tabela da LPB. Para o CAB Madeira, a segunda derrota apenas demonstra que haverá muito trabalho a fazer para que o atual conjunto de jogadores possa competir ao nível que o CAB nos habituou. Chris Dowe, com 28 pontos e 3 assistências, foi o homem do jogo, com Eki Viana a estar em grande plano com 18 pontos e 8 ressaltos. Na equipa da casa, destaque para Ricky Franklin, com 25 pontos e 8 assistências.

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Marcel Risse (Colónia)

|Francisco Sousa



Um jogador com nível para uma equipa da zona média-alta da tabela da Bundesliga. Joga, porém, no 2º escalão, onde se vai assumindo com a principal figura de um Colónia que procura o regresso ao convívio com os grandes. Aos 23 anos (completará 24 no próximo mês de Dezembro), Risse tem destilado talento pelos relvados da 2.Bundesliga. Jogador hábil, capaz de rematar com os dois pés, leva já 7 golos esta temporada, 5 na Liga e 2 na DFB Pokal. Pode actuar em qualquer posição do meio-campo ofensivo, mas preferencialmente descaído na direita. Explora bem os espaços nas costas dos laterais, é rápido e destemido no um-para-um. Além disso, tem na meia-distância uma possível arma para poder resolver jogos. Estava no Mainz, onde nem sempre era opção. Está a crescer muito bem esta época, acredito que em Janeiro possa já saltar para o escalão principal…

domingo, 3 de novembro de 2013

Marketing, comunicação, imagem e sistemas de informação no Basquetebol Português

|Luís F. Cristóvão

Na atual situação em que se encontra o país, será “normal” pensar que questões relacionadas com Marketing e Comunicação fiquem de lado no momento de alinhavar uma estrutura desportiva. Mas a rede concorrencial onde estamos inseridos obriga-nos a não descura esta importante faceta que poderá mesmo revelar-se decisiva para a sustentabilidade do nosso basquetebol num futuro próximo.



Comecemos, então, pela base. Quantos clubes de têm um elemento dedicado ao Marketing e Comunicação da secção de basquetebol? Infelizmente, os dedos de uma mão chegarão para contar esses casos. Aquilo que se vê são situações onde pessoas da estrutura vão mantendo blogues ou páginas de Facebook, destacando-se pela falta de cuidado na gestão das mesmas, intervalando momentos de muita atividade com outros quase de esquecimento das mesmas. Por outro lado, em estruturas maiores, também acaba por notar-se que a Comunicação da equipa de basquetebol é feita na lógica da estrutura clubística e não da especificidade da modalidade, acabando isso por não trazer grandes ganhos para o basquetebol. Então, o primeiro passo para podermos contar com um acréscimo de qualidade nesta área seria, em cada clube, destacar uma pessoa para assumir a responsabilidade de manter um blogue atualizado e respetiva presença nas redes sociais – conseguir isto será, logo à partida, um garante de visibilidade para atletas, colaboradores e patrocinadores.

sábado, 2 de novembro de 2013

Abderazak Hamdallah (Aalesund)

|Francisco Sousa



Mais um excelente avançado de origem africana a surgir na principal liga da Noruega (a Tippeligaen). Hamdallah, internacional marroquino de 22 anos, leva já 15 golos no ano de 2013, entre campeonato e Taça. Bastante móvel e rápido, o goleador do Aalesund revela enorme sentido de baliza e uma qualidade técnica muito interessante. Um destro (também remata bem com o pé esquerdo) que promete saltar rapidamente para um campeonato superior em termos competitivos, à imagem doutros avançados da Tippeligaen num passado recente (Abdellaoue, Diouf, entre outros).

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Dejan Janjatovic (Saint Gallen)

|Francisco Sousa



Médio-centro ou médio-centro defensivo, Janjatovic é um dos jogadores com mais potencial da Liga suíça. Aos 21 anos, e depois de passagens pelas escolas do Bayern e pela segunda equipa do Getafe, este ex-internacional sub-18 pela Alemanha assentou em definitivo no Saint Gallen, equipa que jogará a Liga Europa esta temporada. Versátil, robusto e com bom jogo aéreo, Janjatovic destaca-se pela elegância na condução e pela maneira como tenta, permanentemente, desmarcar companheiros com passes de ruptura. Tem boa visão de jogo, embora deva melhorar ligeiramente a percentagem de passes acertados. Quando o fizer, este destro será um jogador preparado para uma grande Liga. Além disso, possui um remate colocado de fora da área e incorpora-se bem na 2ª linha. Pode destacar-se este ano contra equipas como o Valência ou o Swansea, assim como fez na eliminatória frente ao Spartak de Moscovo.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Vitória de Guimarães vence duelo de candidatos

|Luís F. Cristóvão

Na primeira jornada da LPB, o Vitória de Guimarães venceu o duelo de candidatos, batendo o CAB Madeira por 86-81. O Benfica mostrou a sua força na deslocação ao pavilhão do Galitos, enquanto a surpresa da jornada foi o Basq. Barcelos, que venceu, fora, o Sampaense, batendo assim os prognósticos da Dhoze, Apostas Desportivas.


Em Guimarães, duas das equipas mais fortes da LPB encontravam-se e o Vitória soube como defender o fator casa, vencendo por 86-81. Muito graças à fantástica exibição de Paulo Cunha, com 17 pontos e 12 ressaltos, os vimaranenses conseguiram uma vantagem curta mas bem gerida até perto do final. Com Anthony Meyer e João Balseiro a marcarem, cada um, também 17 pontos, Pedro Pinto a somar 16 e José Silva 11, os Vitória conseguiu um quinteto a marcar em duplos dígitos. Na equipa do CAB Madeira, Ricky Franklin com 25 pontos e Aaron Anderson com 17 pontos e 16 ressaltos foram os jogadores em destaque.

A surpresa da jornada teve lugar em São Paio de Gramaços, onde o Sampaense não conseguiu passar para a LPB a boa imagem deixada no Troféu António Pratas. O Barcelos foi sempre mais forte e conseguiu resistir à aproximação levada a cabo durante o 3º e 4º períodos. Marko Loncovic, com 24 pontos e nove ressaltos e Rui Coelho com 29 pontos, a partir de um fabuloso 9 em 11 em lançamentos triplos marcaram a diferença a favor dos minhotos, que acabaram por ganhar 79-72. Entre os da casa, Jovonni Shuler foi a figura, com 21 pontos.

O Benfica mostrou toda a sua capacidade na curta viagem ao Barreiro, onde Miguel Minhava, com 9 pontos, 8 ressaltos e 4 assistências e Andrew Bacharov, com 15 pontos, não foram suficientes para evitar a derrota por 48-96. A equipa encarnada teve no duplo-duplo de João Gomes (14 pontos, 10 ressaltos) a sua melhor exibição, com Carlos Andrade a somar 20 pontos, Seth Doliboa 17 e Jobey Thomas 16 num jogo onde o favoritismo atribuído pela Dhoze foi plenamente justificado.

Nos outros dois encontros da jornada, a Ovarense Dolce Vita venceu o Algés por 89-85, após prolongamento, enquanto o Maia Basket fez a sua estreia na divisão principal a bater a UD Oliveirense por 59-54.

É hora de NBA!



Hoje começa mais uma temporada da NBA, o melhor espetáculo de basquetebol do mundo, e Luís F. Cristóvão preparou uma apresentação de todas as equipas da competição.

Fiquem a conhecer ao detalhe aquilo que se espera de cada conjunto, com os mais e os menos de cada equipa e os seus objetivos para este ano. Entre um grupo de candidatos à sucessão dos Miami Heat e um outro grupo que tudo fará para conseguir ficar bem classificado para o Draft do próximo ano.

Conferência Este


Conferência Oeste

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Alexandru Matel (Astra Giurgiu)

|Francisco Sousa



Aos 23 anos, este lateral-direito romeno parece estar a passar a melhor fase da sua carreira. Internacional por 7 vezes (tendo sido titular nos últimos jogos de qualificação para o Mundial), Matel é uma das figuras do Astra Giurgiu, uma das equipas que conseguiu o apuramento para as pré-eliminatórias da Liga Europa (entretanto foi eliminada). Tem uma disponibilidade física tremenda, defende o espaço bastante bem e sabe encarar os adversários com agressividade no um-para-um em situação defensiva. Além disso, apoia bastante bem o ataque e tem um bom cruzamento de pé direito. A exibição recente frente à Hungria pode ser considerada um excelente cartão-de-visita para este lateral, claramente a pedir outros voos…

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Benfica volta a prometer domínio na LPB

|Luís F. Cristóvão

Começa, finalmente, este fim-de-semana a Liga Portuguesa de Basquetebol, uma vez mais sob signos que já começam a ser habituais na divisão maior desta modalidade. Por um lado, o Benfica promete dominar, com um plantel que está uns furos acima de toda a concorrência, apesar de já ter demonstrado, na Taça António Pratas, que não o pode ser apenas no papel. Por outro, a crise continua a dizimar a competição, e depois da desistência da Física de Torres Vedras, a Académica de Coimbra luta pela sobrevivência.

Comecemos pelo que de positivo poderemos encontrar na competição. Carlos Lisboa e o Benfica voltam a apresentar um plantel de luxo, tendo em conta o nível competitivo da LPB. Com várias opções para as diversas posições e com jovens de muita qualidade a sair da equipa B, os encarnados poderão sonhar com um percurso sem sobressaltos na Liga. O grande susto já foi apanhado na António Pratas, onde foram eliminados nas meias-finais pelo Sampaense. Pelo exemplo, ficou também demonstrado que um bom plano tático e muita concentração permitirão a adversários mais frágeis competir com os gigantes da Luz, que na casa de apostas Dhoze vêem o seu favoritismo refletido numa odd de 1.12.

No quadro de equipas que poderão competir nos lugares mais próximos da liderança, surge em particular destaque a Ovarense, que manteve toda a sua estrutura do ano passado, acrescentando mais experiência, com a chegada de André Pinto. Por outro lado, o Vitória de Guimarães somou a chegada de Pedro Pinto, João Balseiro e uma nova dupla de norte-americanos, podendo também esperar-se uma boa campanha da equipa minhota. Ambas já deram provas disso mesmo nesta temporada, a equipa de Ovar vencendo a Taça António Pratas e o Vitória dando luta ao Benfica na Supertaça. Na análise das apostas, a Ovarense merece uma odd de 7.50, sendo o segundo favorito ao título, enquanto o Vitória está mais abaixo, com uma odd de 17.00.

Na terceira linha surgem as equipas que procuram fixar-se entre os candidatos ao playoff. O CAB Madeira parece merecer uma referência aqui, sendo uma equipa que poderá mesmo surpreender e voltar a lançar-se a uma posição no pódio, tendo em conta alguns elementos de muita qualidade que tem no seu plantel, como Edson Rosário, Jorge Coelho ou Fábio Lima. O trio de norte-americanos terá também uma grande responsabilidade nas possibilidades da equipa, sento que João Freitas continua a ser uma referência enorme nos bancos da LPB. O Sampaense, com André Calabote a surgir como uma das possíveis grandes revelações da competição, e o Maia Basket, que já deu um bom sinal do que pode alcançar no António Pratas, serão outras duas equipas que poderão aparecer na luta por boas posições no playoff.

Na segunda metade da tabela, espera-se muito equilíbrio e luta para quem sonha com a ida ao playoff, mas tenta, sobretudo, evitar a descida de divisão. O Algés, com André Martins no banco e João Santos em campo, promete muito melhor cara do que no ano passado, enquanto Lusitânia e Barcelos vão afirmar a sua experiência na competição para escaparem aos lugares mais recuados. O Galitos Barreiro terá que mostrar mais qualidade no seu segundo ano de LPB, enquanto a Oliveirense promete com um projeto interessante e muita juventude no seu plantel. Finalmente, a Académica, se conseguir participar na prova, terá que ter uma atitude muito realista, procurando somar vitórias caseiras que a façam escapar ao último lugar. Sendo que nenhum destes clubes poderá, seguramente, almejar à conquista do título, a mais arriscada aposta na Dhoze é a Oliveirense, que com uma odd de 150.00, poderia fazer furor entre os apostadores da LPB.

sábado, 19 de outubro de 2013

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Liga dos Campeões - 2013/14

|Luís F. Cristóvão



Fique a saber tudo sobre as equipas participantes na Liga dos Campeões 2013/14 com os Tutoriais do Apostas Online

Grupo A

Grupo B

Grupo C

Grupo D

Grupo E

Grupo F

Grupo G

Grupo H

A heterogenia pode até ser uma vantagem

Entrevista a Rui Alves, selecionador nacional de sub-16 masculinos

|Luís F. Cristóvão

Rui Alves orientou a seleção masculina que, na Divisão B Europeia, disputada na Bósnia e Herzegovina, terminou na 15ª posição. Ainda assim, com vários jogadores a terminar no Top 10 de estatística individual – Diogo Brito nos pontos marcados e assistências, Pedro Oliveira nas assistências e Ricardo Monteiro nos ressaltos -, existe matéria-prima a ter em conta para o futuro do basquetebol nacional. Rui Alves fala, neste entrevista, da preparação para a competição, bem como da gestão feita durante os dias da prova.



O que destaca da preparação para uma competição deste nível? Quantos jogos de preparação foram realizados? O que falta ainda, à estrutura das equipas da nossa federação, para estarmos, no que toca à preparação, ao nível dos nossos concorrentes?
Na fase de preparação, destaco o número de dias de estágio e a competição prévia à participação no campeonato. Este ano realizamos 7 jogos internacionais, muito acima do habitual, mas, por outro lado, os cortes nos dias de estágio a que nos vimos sujeitos fizeram com que não chegássemos sequer aos 40 treinos realizados. Os nossos concorrentes têm uma vantagem sobre nós que é a situação geográfica… jogamos com seleções que se meteram num autocarro e passavam 5 ou 6 fronteiras para jogar, e levavam 20 ou mais jogos de preparação. Mas, repito, a preparação deste ano para nós até foi muito melhor do que é habitual neste escalão.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Carlos Dias no London United - Harefield Academy

|Luís F. Cristóvão




Carlos Dias, jogador formado no Barreirense e que representou o Benfica na temporada passada, vai representar o London United /Harefield Academy nas próximas três temporadas.

Para além de jogar na Divisão 2 inglesa, Carlos Dias terá ainda de representar a sua equipa no Leroux Challenge, uma prova que se disputa, durante a temporada, em França. Carlos Dias será bolseiro nesta equipa, que para além de acordos com a Universidade Buckinghamshire New e com o BCM Gravelines, anunciou recentemente a aquisição de uma equipa na BBL, que se passará a denominar Surrey United, e por onde poderá passar o futuro do jogador português.

Sorteio da Taça de Portugal de Basquetebol 2013/14

Resultados do sorteio das primeiras eliminatórias da Taça de Portugal de Basquetebol 2013-14:

1ª Eliminatória (5 de outubro 2013)

SC Braga - Pad.Ribeiro/Salesianos
Vasco da Gama - Académico FC
A.D.Sanjoanense - ACR Vale de Cambra
UF Buarcos - Olivais Coimbra
ASC/BVRM/T.d'el Rei - SIMECQ


2ª Eliminatória (23 de outubro 2013)

CD Póvoa – SC Braga ou Pad.Ribeiro/Salesianos
Vasco da Gama ou Académico – Famalicense/Crédito Agrícola
FC Gaia – Galitos /Weber
GD Gafanha – AD Sanjoanense ou ACR Vale de Cambra
Física de Torres – SC Conimbricense
UF Buarcos ou Olivais Coimbra – Salesianos OSJ
ASC/BVRM/T.d’el Rei ou SIMECQ– Atlético
Belenenses /Casa Sorte – FC Barreirense

sábado, 31 de agosto de 2013

La gran familia de los campus baskonistas

Reproduzimos o artigo da revista Caracter Baskonia, onde Ricardo Silva é entrevistado.

Cada año el Campus Internacional y el Campus de Verano de
la Fundación 5+11 llenan de baloncesto la ciudad. Más de 650 niños y
jóvenes se divierten y aprenden con su deporte favorito, y, esto es posible,
gracias a los 68 monitores y técnicos que se encargan de que todo funcione.



quinta-feira, 29 de agosto de 2013

V Campus Internacional de Baloncesto - Baskonia Laboral Kutxa

|Ricardo Silva

O V Campus Internacional de Basquetebol Baskonia Laboral Kutxa, sim o naming alterou novamente, depois de TAU Ceramica e Caja Laboral agora Laboral Kutxa, embora nos pareça que o nome do clube seja por vezes pouco falado, BASKONIA, decorreu este ano entre as datas de 30 de Junho e 14 de Julho e dividido mais concretamente em dois turnos, o primeiro de 30 de Junho a 7 de Julho e o segundo de 7 de Julho a 14 de Julho.


Uma vez mais tivemos o prazer de receber o convite por parte de David Gil, Diretor do Campus e treinador adjunto da equipa sénior que milita na Liga ACB, para participar neste magnífico Campus Internacional que ano após ano tem conquistado o seu espaço entre a elite dos Campus de aperfeiçoamento de basquetebol na Europa. De facto, a nossa participação neste Campus em concreto é anterior à sua internacionalização, tendo desta forma sido possível acompanhar anualmente a evolução deste ao nível da estrutura organizativa e respetivos espaços, corpo técnico, nível de atletas e atividades. Assim, no presente ano e no primeiro turno, que esgotou as inscrições, tivemos a participação de 220 atletas, enquanto no segundo turno a participação foi de 190 atletas, totalizando cerca de 410 inscrições de atletas de ambos os sexos entre os doze e os dezassete anos e oriundos de 15 países de todo o mundo (Espanha, Portugal, França, Itália, Polónia, Geórgia, Estados Unidos da América, Grécia, …). De Portugal tivemos a participação de um atleta da nossa equipa, José Saccas da Física de Torres Vedras e de cinco atletas do Hiper-Activo da Malveira.

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Somos o que fazemos diariamente

Entrevista a Ana Catarina Neves, treinadora da Seleção Nacional de Sub-16 Femininos

|Luís F. Cristóvão

A seleção de Sub-16 feminina fez história, ao garantir, pela primeira vez, a subida à Divisão A neste escalão. O feito foi alcançado em Matosinhos, com Ana Catarina Neves a liderar a equipa técnica que alcançou este feito. Nesta entrevista, procuramos saber, junto da selecionadora, como foi preparada a campanha, quais as sensações da equipa durante a competição e de que forma estamos a preparar o futuro.

Time Out com Ana Catarina Neves
Jogar um torneio deste nível em casa, para mais com o objetivo da subida claramente definido, deve ter sido um fator de alguma pressão extra para este grupo. Como é que, como treinadora, enfrentou esse desafio e preparou as jogadoras para ele?
Inicialmente, dentro do nosso grupo, a subida de divisão não foi assumida como objetivo principal, pois não conhecíamos o valor dos adversários (sub-16 é a primeira geração a competir), nem tivemos competição internacional que nos permitisse fazer uma avaliação e aferição do valor da nossa equipa relativamente às demais. Achámos, sim, que tínhamos uma equipa interessante, trabalhadora e competitiva, à qual fomos propondo metas intermédias em função da fase da competição em que estávamos e da avaliação que fomos fazendo das outras equipas. Foi com esta perspetiva, com exigência e rigor no trabalho, que nos preparamos para enfrentar este enorme desafio, jogo a jogo, um dia de cada vez.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Notas de scouting – Sérvia e Dinamarca

|Luís F. Cristóvão

Acompanhada a segunda fase e as finais do Campeonato Europeu Sub-16 Feminino – Divisão B, seguem-se algumas notas sobre as equipas que subiram de divisão, para além de Portugal, já referido num artigo anterior.

Sérvia 

Jovana Nogic
A vencedora do torneio foi, no final de contas, a equipa mais equilibrada de todo o torneio, focando-se, sobretudo, no momento defensivo, onde se constituiu como o conjunto que melhor fechava a área restritiva de todo o torneio. Esse facto permitiu à Sérvia vencer por distâncias confortáveis frente a Inglaterra, Finlândia e Dinamarca, tendo também ultrapassado Portugal por minimizar os efeitos do jogo interior luso. A equipa de Zoran Tir vale muito mais pelo seu coletivo do que pelas peças individuais. Snezana Bogicevic ganhou um lugar na All-Tournament Team por ser a melhor marcadora da equipa, mas isso deve-se, sobretudo, a ser a jogadora com mais minutos em campo. Bogicevic terminou o torneio com uma percentagem fraquíssima (1 em 9) no tiro exterior e, apesar de ser uma jogadora elegante e com bom posicionamento, não tem características ainda muito definidas.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Só se tem 16 anos uma vez

|Luís F. Cristóvão

7 de agosto, 20h40, Matosinhos – cheguei ao início da tarde ao Pavilhão do Centro de Desportos e Congressos da cidade e estava, agora, perante um pavilhão praticamente cheio, emocionado, a aplaudir uma equipa feminina de sub-16. Durante onze dias viveu-se assim, o basquetebol, no feminino, em Portugal.



Começando do início, talvez devêssemos destacar o facto de 2013 marcar o momento em que várias grandes promessas do basquetebol português completam dezasseis anos. Carolina Bernardeco, a mais jovem de três irmãs que marcam referência no nosso basquetebol (Joana e Filipa estiveram presentes na final da Liga Feminina desta temporada, uma conquistando o título, outra fazendo parte da equipa vice-campeã), e Maria Kostourkova, herdeira de uma dupla de jogadores e treinadores búlgaros que vêm enriquecendo o basquetebol português com o seu trabalho, poderão constituir uma das mais brilhantes duplas que o nosso basquetebol terá o prazer de ver nos próximos anos.

terça-feira, 30 de julho de 2013

É preciso maior exigência

Entrevista a André Martins, treinador da Seleção Nacional de Sub-20 Masculinos

|Luís F. Cristóvão

Em jeito de balanço à participação de Portugal no Campeonato Europeu de Sub-20 Masculinos – Divisão B, conversamos com André Martins sobre o percurso desta equipa e a análise às diferenças entre Portugal e os seus adversários. Da entrevista, fica clara a necessidade de uma maior exigência e experiência competitiva, de maneira a apurar as capacidades dos jogadores nacionais.

André Martins no estágio de preparação

Portugal terminou em 5º lugar na Divisão B do Europeu Sub-20, em termos absolutos o 25º a nível europeu. Que diferenças são notórias em comparação com as equipas que terminaram acima de nós na classificação?
A grande diferença que se continua a sentir são os aspetos morfológicos e físicos. Esta diferença é evidente nas diferentes posições dos atletas. Outra diferença notória para as melhores seleções é o facto de todas elas apresentarem 2 ou 3 jogadores que competem nos melhores campeonatos da Europa em seniores, demonstrando uma maturidade competitiva superior a nossa.

O que destacas da preparação para uma competição deste nível? Quantos jogos de preparação foram realizados? O que falta ainda, à estrutura das equipas da nossa federação, para estarmos, no que toca à preparação, ao nível dos nossos concorrentes?
Os jogos de preparação internacionais são determinantes para a melhoria dos resultados. Realizamos 5 jogos de preparação, o que é excelente para a nossa realidade e revela um grande esforço por parte da federação. As melhores seleções, aquelas que partem para o Europeu com a ambição de subir de divisão, realizam 7 a 9 jogos internacionais de preparação. Para estarmos, no que diz respeito a preparação, ao nível dos melhores, necessitamos acima de tudo que os nossos Sub-20 treinem e joguem com regularidade nas competições que são mais adequadas ao seu desenvolvimento (Proliga/Liga).

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Clube de Combate revisitado

Entrevista a Eugénio Rodrigues, treinador da Seleção Nacional Sub-20 Femininos

|Luís F. Cristóvão

Depois de mais uma prestação internacional de relevo, levando Portugal a classificar-se na quarta posição do Campeonato da Europa de Sub-20 Femininos – Divisão B, Eugénio Rodrigues falou para a Gazeta dos Desportos, analisando o percurso entre Europeus, a preparação da equipa para a competição e os desafios encontrados nesta competição, que teve lugar na Bulgária.

Um depoimento sincero e contundente sobre o trabalho de um selecionador nacional, perante as dificuldades que vão surgindo no caminho de quem tenta modificar a face do basquetebol feminino em Portugal.

Eugénio Rodrigues em ação!

1-Depois do que aconteceu com a Seleção Sub-20 Feminina no ano passado, com a descida nas condições que todos conhecemos, este ano havia alguma “sede de vingança” no grupo? Como foram geridos esses sentimentos ao nível da preparação psicológica e de motivação para a competição deste ano?
Esta Seleção tinha no seu seio 4 atletas que transitavam do ano passado, sendo que todas elas jogavam no 5 inicial e uma delas era inclusivamente capitã de equipa. Era por isso uma memória ainda muito presente e que deveria ser aproveitada para servir de mola motivacional para o restante grupo. Por um lado, elevar os níveis, já por si muito exigentes, de sacrifício pois se no ano transato tínhamos "sobrevivido" com honra e distinção naquelas circunstâncias, este ano importava manter a fasquia. Por outro, fazer passar a todo o grupo que a injustiça a que tínhamos sido votados exigia uma "vingança" e um tributo ao grupo de 2012. Era também por elas que iríamos a jogo. Infelizmente, ficamos a um cesto sofrido a sete décimos do final do jogo com a Letónia de o conseguir. No entanto, o meritório 4.º lugar não deixou ser a justa homenagem a essa Seleção e o tempo há-de trazer-nos de novo à ribalta.

2-O que destaca da preparação para uma competição deste nível? Quantos jogos de preparação foram realizados? O que falta ainda, à estrutura das equipas da nossa federação, para estarmos, no que toca à preparação, ao nível dos nossos concorrentes?
Pela positiva há que destacar o bom número de jogos de preparação que tivemos até porque todos eles foram fruto de convites das Federações Francesa, Checa e Búlgara. É sinónimo do reconhecimento internacional da nossa qualidade. De menos positivo, a crise financeira que se alastra também à FPB, que levou a cortes sucessivos na preparação e a estágios desta Seleção. Isso aliado à enorme dificuldade em conjugar a nossa preparação com os exames escolares, foram claramente fatores menos conseguidos neste trabalho e cujas consequências foram sensíveis. Para que conste realizamos até ao campeonato europeu, apenas 32 treinos e nem todos eles com a totalidade do grupo. Quanto ao mais, onde temos muito a melhorar é no dia-a-dia da época desportiva, nos clubes e nas competições nacionais. É aí que muito se joga, indiretamente, na preparação de uma geração que irá servir de base à Seleção Nacional.

sábado, 13 de julho de 2013

Entender o contexto

|Luís F. Cristóvão



Início aqui uma série de artigos onde tentarei analisar situações relativas ao basquetebol e à forma de trabalhar nesta modalidade. Começando pelo início, discuto o tópico do contexto. É óbvio que cada um de nós vai construindo uma ideia daquilo que pretende fazer perante uma oportunidade de trabalhar numa equipa, seja como jogador, técnico ou dirigente. Mas será sempre o contexto a definir, no concreto, como é que as nossas ideias se poderão ligar à realidade que encontramos.

Por muito boas ideias que possas ter, o essencial é que comeces por ouvir. Ouvir as pessoas que estão já no clube, entender os seus objetivos, compreender as implicações desses objetivos com as linhas que tens traçadas para ti. A chave do aproveitamento do teu trabalho estará aí. Ao ouvir e compreender os outros, poderás desde logo começar a adaptar as tuas ações ao cumprimento do objetivo primordial: o sucesso coletivo.

Para além de ouvir, é preciso saber ver o contexto onde te inseres. Qual o passado do clube, algo que mexe sempre com as expetativas de quem trabalhará contigo e de quem acompanhará esse trabalho, os adeptos e os amigos que estarão à volta da equipa. Ver implica olhar bem todos os pormenores que compõem um pavilhão, o ambiente à sua volta, as suas paredes. Haverá também que compreender a história desse lugar. A vida de um clube dá muitas voltas, mas saber das suas referências essenciais é sempre um excelente modo de adquirires trunfos que façam o seu trabalho ser melhor aceite.

Finalmente, não deixes de tentar, sempre, conhecer o que acontece à tua volta. Seja nas pessoas ou na instituição, tenta conhecer cada pormenor, cada decisão, cada dúvida, cada evento. Ao conhecer bem quem te rodeia (e o quê), estarás preparado por antecipação para resolver problemas e dificuldades. Esse conhecimento dar-te-á também a possibilidade de somares desafios à equipa, de maneira a que a ambição e a vontade do grupo possam estar, constantemente, em crescimento.

Talvez pareça que escrevi muito pouco sobre basquetebol para um texto que se quer sobre este desporto. Mas o fenómeno desportivo tem essa mesma ambivalência, constitui-se de um encontro de gente que adora o que faz e que procura forma de o fazer resultar coletivamente. Espero, por isso, que estas chaves sirvam bem para abrir portas nas vossas experiências.

Deixem os vossos comentários, dúvidas e desafios, para que a conversa possa continuar.

domingo, 7 de julho de 2013

Gold Cup 2013

Gold Cup

O Torneio que decide o Campeão da CONCACAF – Confederação da América do Norte e América Central, disputa-se, este ano, nos Estados Unidos da América, com a abertura marcada para a noite do próximo domingo. O México garantiu a vitória nas últimas duas edições, sendo o país com mais títulos, seis em doze edições. A jogar em casa, os Estados Unidos tentarão aproximar-se da equipa mexicana, buscando a quinta vitória na competição, que apenas por uma vez fugiu das mãos dos dois gigantes desta Confederação, quando em 2000, o Canadá venceu a prova.
A Gold Cup, apesar de oferecer um título continental e, a cada duas edições, a presença na Taça das Confederações, é habitualmente uma competição onde as principais equipas apresentam plantéis de recurso, apostando em jogadores que nem sempre têm oportunidade de estar entre os escolhidos.
Por outro lado, as equipas de segunda linha aproveitam a competição para se medir ao mais alto nível, podendo, este ano, ver equipas como a Costa Rica ou as Honduras dar uma boa réplica aos favoritos. Finalmente, entre os “desconhecidos” do futebol mundial, surgem por vezes algumas surpresas. Este ano, o Haiti, que deu excelente nota da sua qualidade em amigáveis frente a Espanha e Itália, é a equipa que mais promete

Continuar a ler
.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Euroleague: Rumo a Milão 2014

Realizou-se hoje o sorteio da Euroleague 2013/14, ficando-se a conhecer os encontros da fase de qualificação, bem como a constituição dos grupos da 1ª fase.



Apostas Online: a solução para jogar em Portugal e no Brasil

ApostasOnline é uma casa de apostas e jogos online que está presente nos mercados portugueses e brasileiros com algumas das melhores propostas. Para começar, ao registar-se em ApostasOnline, poderá beneficiar de uma primeira aposta grátis, não correndo riscos na sua primeira experiência.

Uma vez que seja cliente da ApostasOnline, poderá encontrar vários mercados onde poderá beneficiar das melhores odds. Com o regresso do Brasileirão, tem a hipótese de fazer as suas apostas na melhor casa para apostar no campeonato brasileiro. Este fim-de-semana, o Flamengo recebe o Coritiba, num jogo que desperta bastante interesse, dado o excelente começo da equipa visitante. Mas também para apostar no grande dérbi paulista, o São Paulo – Santos, poderá entrar no ApostasOnline e encontrar odds inigualáveis.

Com o início da temporada, poderá encontrar também, diariamente, excelentes propostas para todos os amigáveis entre clubes, mas também existem competições de seleções que continuam a atrair a atenção de todos aqueles que adoram futebol. O Campeonato do Mundo de Sub-20 continua a disputar-se na Turquia, com a Espanha a manter-se como o grande favorito à vitória, enquanto na América do Norte vai começar a Gold Cup, com México e Estados Unidos da América a entrarem em campo com outras interessantes seleções, como a Costa Rica ou El Salvador, ou países que mais raramente temos hipótese de acompanhar, como o Belize ou Martinica. No ApostasOnline, poderá apostar em todas as partidas e encontrar as melhores odds para o fazer.


No Basquetebol, esta semana está dedicada às competições femininas, com a WNBA e o Europeu de Sub-20. Portugal está presente nesta segunda competição, na Divisão B, torneio sobre o qual poderá encontrar algumas notícias aqui, na Gazeta dos Desportos. Mas para ganhar, deverá visitar o site do ApostasOnline e somar com as vitórias portuguesas.

Para além do desporto, poderá encontrar no ApostasOnline outro tipo de ofertas, como o Casino e o Casino ao vivo, onde são disponibilizados os melhores jogos do mercado, uma setor de Poker, onde poderás fazer valer os teus conhecimentos neste brilhante jogo de cartas, ou ainda seguir o blog do ApostasOnline, onde todos os dias são lançados artigos com as melhores ofertas sobre este website.


Para beneficiar de uma oferta especial para os clientes da Gazeta dos Desportos, use um dos banners disponibilizados no nosso blogue. Clicando aí, poderá fazer o seu registo e começar, de imediato, a jogar com ApostasOnline. Apostamos que vais gostar!

Clica aqui para ganhar uma oferta especial:
Apostas de futebol online

quarta-feira, 19 de junho de 2013

O Onze do Europeu Sub-21

|Luís F. Cristóvão

Isco, o melhor jogador do Europeu Sub-21


Terminado o Europeu Sub-21, com inequívoca vitória para a Espanha, elegemos o nosso onze da competição.

Guarda-redes
De Gea (Espanha)
Chegou até à final sem sofrer golos. Ter uma das melhores equipas à sua frente ajudou, mas é uma das figuras do torneio pela tranquilidade oferecida à sua equipa.

Defesa
Montoya (Espanha), Caldirola (Itália), Bartra (Espanha), A. Moreno (Espanha)
Inevitável domínio espanhol. Na direita, Montoya deu claros sinais de merecer mais confiança no Barcelona, enquanto, do lado esquerdo, Alberto Moreno comprovou aquilo que já começou a demonstrar no Sevilha. Dois laterais muito seguros e com forte capacidade ofensiva. Na linha central, escolhemos os dois jogadores que demonstraram maior experiência e capacidade de controlo de situações. O espanhol Iñigo Martínez e o noruegês Semb Berge merecem menções honrosas.

Meio-campo
Illarramendi (Espanha), Thiago Alcântara (Espanha), van Ginkel (Holanda)
O basco comprovou na La Rojita aquilo que deixara já claro na Real Sociedad. É um jogador pronto para assumir o equilíbrio da sua equipa, deixando sobrar muito pouco para surpreender na sua defesa. Ganha, na corrida pela posição mais fixa, sobre o italiano Verratti. Van Ginkel chega a este onze como representante de uma seleção holandesa que esteve muito forte nos dois primeiros encontros – e van Ginkel foi peça chave na ligação dos setores -, mas perdeu algum gás na segunda metade da sua participação. Sobrepôs-se, ainda assim, a Koke, que teve um papel invisível, mas fundamental, na vitória espanhola. A posição mais ofensiva do meio-campo fica para Thiago Alcântara. Andou como que apagado pelo brilho dos seus colegas durante boa parte do torneio, mas na final, não deixou a sua participação neste torneio passar despercebida, fazendo uma exibição que, por si só, mereceu mais um título europeu.

Ataque
Isco (Espanha), Morata (Espanha), Insigne (Itália)
Não existem muitas palavras para definir Isco. O melhor jogador deste torneio poderia, muito bem, estar no onze da seleção principal espanhola na Taça das Confederações. Tendo em conta o valor de La Roja, isso é já dizer muito. Neste nosso onze, surgiria mais lançado pela direita, porque o flanco esquerdo vai para o baixinho Insigne, um fabuloso extremo esquerdo que não desiste de nenhuma bola e mantém a defensiva contrária sempre de prevenção. Na frente, Morata, com quatro golos, foi o melhor marcador da competição, mas demonstrou também ser o ponta-de-lança mais perigoso pelo torneio, podendo deixar marca de cabeça ou em progressão. Um suplente de luxo para esta equipa seria o norueguês Pedersen, uma excelente surpresa pela mobilidade e oportunidade demonstradas.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Antevisão da Taça das Confederações

|Luís F. Cristóvão



Começa este sábado a Taça das Confederações, que se disputará no Brasil, com a presença dos campeões continentais de seleções.

Para conhecer a antevisão do Grupo A, composto por Brasil, Itália, Japão e México, clique aqui.

Para conhecer a antevisão do Grupo B, composto por Espanha, Nigéria, Taiti e Uruguai, clique aqui.

domingo, 9 de junho de 2013

Colômbia - Brasil 0-1

Colombie Brésil
1 Christian BONILLA (cap) 1 ALISSON
4 Andres CORREA 3 WALLACE
2 Jherson VERGARA 4 DORIA
5 Felipe AGUILAR 5 MATHEUS BITECO
13 Helibelton PALACIOS (- 61') 6 DOUGLAS SANTOS (- 69')
11 Cristian PALOMEQUE 8 JOAO SCHMIDT (cap) (- 50')
15 Guillermo CELIS 9 VINICIS ARAUJO (- 50')*
14 Sebastian PEREZ (- 68') 10 ADEMILSON
22 Andres RENTERIA 11 RAFINHA ALCANTARA
7 Harrison MOJICA (- 31') 17 DANILO
9 Jhon CORDOBA 20 YURI MAMUTE
Remplaçants Remplaçants
3 Deivy BALANTA 2 LUCAS FARIA
6 José LEUDO 7 GIOVANNI (+ 50')
8 Cristian HIGUITA 12 GABRIEL (gk)
10 Brayan ANGULO (+ 68') 13 TINGA
12 Luis HURTADO (gk) 14 LUCAS
16 Luis MENA (+ 31') 15 JUBAL (+ 69')
17 Ronald HERRERA 16 ABNER (+ 50')*
18 Julian FIGUEROA 18 ERIK LIMA
19 Miguel BORJA (+ 61') 19 LUAN
20 Yair IBARGUEN 21 TALISCA
21 Jair MOSQUERA (gk)
Entraineur : C. Alberto RESTREPO  ISAZA Entraineur : Alexandre GALLO
Arbitre : M.  Soares Dias (Por) Arbitre assistant  : M.  Licinio Tavares (Por)
Quatrième arbitre : M. Alzawahreh (Jor) Arbitre assistant : M. Costa Pereira (Por)
Match n°22 08-06-2013 Nice 17h30
Colombie Brésil
 0 - 1
(0 - 1)
Mn Mn
3'
VINICIUS ARAUJO (Bra, 9)